TESTE

Adrenalina liberada, uma emocionante Harley-Davidson Roadster 1200

Com apelo mais esportivo, modelo 2017 tem suspensão invertida e freio com duplo disco na dianteira, além de motorzão com o tradicional dois cilindros em V e refrigeração a ar

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 11/06/2017 15:15 / atualizado em 09/06/2017 15:16

Téo Mascarenhas - Especial para o Correio

Harley-Davidson/Divulgação

A nova integrante da família Sportster da centenária americana Harley-Davidson, que está oficialmente no Brasil, nasce com história de passado. A Roadster 1200 tem características um pouco mais esportivas, de olho no fiel público da marca, que, entretanto, não dispensa a adrenalina. Para tanto, adota visual mais despojado e compacto, com mais peças na cor preta, em vez de cromadas, para-lamas mais curtos, guidão bem baixo e tanque menor, além de uma posição de pilotagem que deixa o tronco mais inclinado para frente, em postura de ataque, mais agressiva.
 
É que a linha Sportster da Harley-Davidson está completando 60 anos, lançada em 1957 para ser exatamente o braço esportivo da marca e demonstrar que não está associada apenas a modelos de grande porte e estradeiros, com desempenho pacífico. O motor também tem história. Batizado de Evolution, com 1.202cm³, foi lançado em 1984 para suceder ao tradicional Shovelhead, que estava na ativa desde 1966, e conservou a tradicional arquitetura de dois cilindros em V, com inclinação de 45 graus, mas ainda com arrefecimento a ar.
 
Pedaleiras largas 
 
A potência não é revelada, mas o torque é abundante. Atinge 9,6kgfm a apenas 4.000rpm, o que permite reacelerações vigorosas e justifica a adoção de um câmbio de cinco velocidades, já que não é preciso ficar trocando de marcha a todo instante. Basta girar o acelerador, mesmo em baixos giros, indicados em destaque no conta-giros do relojão único do painel, para o motor roncar alto, em escapes mais esportivos (acessório original para customização instalado no modelo avaliado). Por outro lado, esquenta bastante no trânsito, sem auxílio do radiador.
Harley-Davidson/Divulgação
 
Na estrada, basta engatar a quinta marcha, com transmissão final por correia, e esquecer. Porém, é bom lembrar que no tanque só cabem 12,5 litros e o painel não tem indicação de nível de combustível. Apenas uma luzinha indicando quando a reserva é acionada. No anda e para do trânsito, porém, é preciso driblar as pedaleiras bem largas, que ficam no meio do caminho na hora de apoiar os pés no chão. Uma característica da família Sportster, já que não ficam tão avançadas e nem tão baixas, para permitir maiores inclinações nas curvas e uma condução mais esportiva.

Modernidades

A suspensão dianteira segue o figurino das esportivas. É invertida, com tubos de 43mm de diâmetro e 114mm de curso. É a única da família Sportster com esse sistema, porém sem regulagens. A suspensão traseira tem duplo amortecedor, com regulagens na pré-carga e 81 mm de curso. Um conjunto mais “duro”, que privilegia a performance em vez do conforto. Em compensação, as belas rodas em liga leve fazem o meio-termo. Na dianteira, aro de 19 polegadas, melhor e mais confortável para enfrentar os buracos e pior na hora de encarar curvas esportivamente. Na traseira, aro 18 polegadas.
Harley-Davidson/Divulgação
 
Outro cacoete esportivo são os freios. Na roda dianteira, dois discos de 300mm, com pinças de duplo pistão, e na traseira, disco de 260mm. Um conjunto poderoso, que transmite confiança, equipado com ABS para brecar os 259kg, abastecida. Porém, quando a velocidade aumenta, fica mais arisca e o peso desaparece. O estranho é que a Roadster 1200 não tem chave para ligar o motorzão. Apenas a tranca do guidão faz a segurança. A Roadster na versão Black tem preço sugerido de R$ 48.600; com pintura em um tom, R$ 48.950; e em dois tons, R$ 49.200.
 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.