Leandro e Ludimila mostram nova disposição para se relacionar com o mundo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 02/12/2012 13:17 / atualizado em 02/12/2012 12:37

Mateus Rodrigues, Especial para o Correio

 Dulce Angelina/Esp. CB/D.A Press
Alguns projetos de mudança de vida precisam de tempo e planejamento a longo prazo. Mudar de cidade, comprar uma casa ou ter um filho, por exemplo, são decisões que viram nossa vida de cabeça para baixo e precisam de amadurecimento. Na contramão, outras mudanças acontecem “de sopetão”, num rompante de ousadia. Raspar o cabelo, adotar um cachorro, pedir alguém em casamento. E para criar hábitos saudáveis, de quanto tempo precisamos?

O Desafio Viva Melhor deu um mês de prazo para Leandro e Ludimila. Dispostos a buscar uma rotina menos estressante e cansados do dia a dia caótico, ambos toparam a aposta e se empenharam. O desafio revelou-se bem maior que as horas dedicadas semanalmente à academia. Regular horários de alimentação, mudar o perfil da geladeira de casa, fugir da tentação dos doces e do cochilo fora de hora. O resultado está no semblante de ambos, que dividem aqui a experiência.

Leandro é categórico. “O mais difícil foi criar uma rotina de horários. Almoçar sempre na mesma hora ou fazer todos os lanches intermediários. O pior já passou”, brinca. A composição do prato é consequência das mudanças: porções menores, carnes sempre grelhadas e, no jantar, acompanhadas apenas de legumes e salada, sem arroz nem feijão. “Almoço fora de casa, em praças de alimentação, mas hoje escolho opções bem mais saudáveis. E em casa, à noite, todo mundo entra na mesma dieta”, afirma.

Os hábitos alimentares de Ludimila também foram colocados à prova. Acostumada ao fast food e a substituir água e suco por refrigerante, a mudança exigiu comprometimento. "Foi preciso reformular minha rotina para conseguir almoçar em casa, tomar café da manhã antes de sair, incluir frutas e cereais na alimentação. Cada dia é uma luta comigo mesma para não voltar aos hábitos anteriores", diz.

Mas será que o prazo de um mês é suficiente para notar a diferença? Pela lista de melhorias descritas por Leandro, a resposta é afirmativa. “A primeira melhora foi mesmo no humor, acordar mais bem disposto e chegar ao fim do dia menos cansado. Na semana passada, fiz meus exames de rotina e já percebi uma redução significativa no colesterol, na frequência cardíaca, mesmo com pouco tempo de reeducação”, comemora. E mesmo que o objetivo principal do desafio não fosse a perda de peso, as roupas também ficaram mais folgadas — a previsão é de que, em breve, novos buracos sejam feitos no cinto.

Um 2013 diferente


Para Ludimila, é difícil explicar as transformações na reta final do ano. Em setembro de 2011, uma crise de estresse levou a publicitária a um spa, onde, além de relaxar, aprendeu a se alimentar melhor. O restante daquele ano, porém, foi dedicado à retomada da antiga rotina, quando boa parte dos bons hábitos aprendidos esmaeceu, dando espaço à alimentação desregrada e ao sedentarismo.

Desta vez, Ludimila garante que a mudança é para valer. A busca por uma vida melhor contagiou até a família. Lúcia, 64 anos, mãe de Ludimila, entrou para a aula de pilates já na segunda semana do desafio, para combater os sintomas da fibromialgia. O apoio da família na busca de uma vida mais saudável é fundamental: é bem mais difícil se reeducar quando o mau exemplo e as tentações estão ali, no outro lado da sala.

Outro ponto importante levantado pelos dois desafiados tem a ver, justamente, com a criação de uma rotina fixa. “Achava que o problema era excesso de trabalho e descobri que não tinha a ver com a empresa onde trabalho. Eu mesma é que não conseguia imaginar a abertura de um espaço. Agora, vi que é possível separar um tempo para mim”, confessa Ludimila.

Com resultados tão positivos em um período curto, dá para imaginar a animação de ambos para o próximo ano. Longe de planos mirabolantes, Leandro e Ludimila pretendem dar um passo de cada vez. “O desafio agora é manter as conquistas, continuar no ritmo. Tenho caminhado de vez em quando e pretendo criar uma rotina de corrida aos poucos. Quem sabe, participar de maratonas de rua daqui a algum tempo”, cogita o engenheiro. Ludimila, por sua vez, quer tirar a bicicleta do depósito e colocá-la para rodar pelas ruas da Octogonal, onde mora. “Talvez aproveite para voltar a dançar, também. Vamos ver o que acontece”, planeja.

Com projeções otimistas para 2013 e um primeiro mês de vida nova cheio de bons presságios, Ludimila e Leandro se despedem do Desafio Viva Melhor. Sem dietas malucas, exercícios exaustivos e mudanças da noite para o dia, a experiência de ambos pode servir de exemplo para que atitudes semelhantes tenham início na vida de mais e mais brasilienses. Com metas racionais, mudanças simples e uma boa dose de comprometimento, é possível sentir a melhora na qualidade de vida em pouco tempo.

O mês de dezembro chegou e, com ele, as promessas para 2013. Se você passou os últimos anos colocando o fim do sedentarismo na sua checklist, aproveite a chance para tirar as ideias do papel. Se tudo der certo, o resultado aparece antes do carnaval.
Tags: