Publicidade

Correio Braziliense

Abraço na Serra da Moeda

 


postado em 20/04/2008 19:51 / atualizado em 20/04/2008 19:53

Moradores de Serra da Moeda e Brumadinho, em Minas Gerais, todos adeptos do vôo livre e amantes da natureza, fazem, nesta segunda-feira (21/04), às 11h, no distrito de Piedade do Paraopeba, em Brumadinho, protesto contra a mineração numa área de rica biodiversidade. Na programação, está um abraço simbólico no alto da serra, seguido de salto coletivo de 50 parapentes. O objetivo, segundo um dos líderes da manifestação, o ambientalista Renato Reis Rossi, é chamar a atenção para a ameaça de destruição do patrimônio natural, arqueológico e histórico, que inclui vales, cachoeiras, montanhas, biodiversidade rica e o acervo remanescente do ciclo do ouro. "Toda essa região ainda não foi estudada como deveria, principalmente quanto à parte arqueológica", afirma Rossi, destacando que um levantamento recente mostrou a existência de 40 nascentes num percurso de apenas 15 quilômetros. De acordo com uma nota do movimento, "uma empresa adquiriu o direito de lavra que pertencia a uma antiga mineradora e não tem licença ou registro em seu nome para as atividades. O empreendimento tem pressa em agir, tentando vencer a corrida pelo tombamento da Serra da Moeda, que é parte da Cordilheira do Espinhaço, declarada reserva da biosfera pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco)". Os manifestantes explicam que está em tramitação na Assembléia Legislativa de Minas Gerais a Proposta de Emenda Constitucional 16/07, já aprovada em primeiro turno, que dispõe sobre o tombamento para fins de conservação e declara monumento natural a Serra da Moeda. Conforme a nota, "as comunidades acompanham com apreensão as atividades da mineradora, que faz estudos de prospecção, que antecedem a exploração e devem se estender até 2009. De olho no rastro de degradação deixado por outras empresas na região, elas prometem a mobilização incessante pela preservação da natureza e pelo o que restou da serra". (GW)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade