Publicidade

Correio Braziliense

Ensino fundamental de nove anos registrou aumento de matrículas

 


postado em 19/05/2008 09:21 / atualizado em 19/05/2008 09:22

Grande parte dos esforços nesse primeiro ano do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE) concentrou-se na educação básica. A educação infantil, por exemplo, recebeu R$ 361 milhões para a construção de 515 creches em 499 municípios. O repasse veio por meio do programa Proinfância, que financia a expansão da rede física de atendimento e até R$ 2010 prevê investimento de R$ 800 milhões. O relatório também destaca o aumento do percentual de matrículas no novo ensino fundamental de nove anos, de 32% para 44% nesse primeiro ano. Com a mudança, a previsão é de que aos seis anos a criança esteja no 1° ano do ensino fundamental, concluindo a etapa aos 14. O Centro-Oeste registrou o maior aumento entre 2005 e 2007, com crescimento de 244%. O relatório não aponta grandes avanços no ensino médio, classificado como o elo mais frágil da educação básica. Para cumprir uma das metas do PDE, a alfabetização plena de todas as crianças até os 8 anos de idade, o MEC criou em 2008 a Provinha Brasil. O exame já está sendo aplicado nas próprias escolas e permitirá, em um primeiro momento, avaliar as habilidades relativas ao processo de alfabetização dos alunos. O principal objetivo é evitar que crianças cheguem 4ª série do ensino fundamental sem domínio da leitura e da escrita. Outra mudança foi a instituição do Educacenso, sistema online que mantém um cadastro único e centralizado de escolas da rede pública e privada, docentes, auxiliares da educação infantil e estudantes. A ferramenta foi utilizada pela primeira vez em 2007 e contabilizou 53 milhões de alunos na educação básica 46 milhões na rede pública. Antes a contagem era feita por escola, com 200 mil formulários preenchidos mão.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade