Publicidade

Correio Braziliense

Publicitária encontra insetos dentro de garrafa de cerveja no Maranhão

 


postado em 21/01/2009 11:20 / atualizado em 21/01/2009 11:30

A publicitária Raquel Venâncio se deparou com uma situação inusitada no último dia 11. Ela comprou seis garrafas de cerveja da marca Brahma para consumir com sua família. Ao pegar a última cerveja, ela percebeu que haviam itens estranhos dentro da garrafa. Uma olhada mais de perto revelou serem insetos: três formigas e duas abelhas. “Eu comprei a cerveja num deposito aqui no São Francisco. Até então tudo bem, porém na ultima cerveja encontrei os insetos”. Na garrafa, pode-se notar os insetos nitidamente. Outro detalhe que chama a atenção é a consistência do liquido que apresenta uma tonalidade diferente da normalmente encontrada em outras cervejas do mesmo fabricante. SAC Raquel entrou em contato com o Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC) da Brahma, que pediu para ela aguardar sete dias para o caso ser analisado. Nesta terça-feira (20/01) uma atendente da Companhia de Bebida das Américas (AmBev), fabricante do produto, entrou em contato. Ela afirmou que a garrafa seria recolhida e posteriormente enviada para um laboratório localizado em São Paulo para análise da veracidade do fato. A atendente informou ainda que o procedimento normal para esses casos dura em torno de sete dias, período no qual é analisado por técnicos da Brahma. O caso pode render um processo de grandes proporções, já que coloca a conservação da cerveja consumida no Maranhão em dúvida. Raquel afirma que as pessoas que estavam com ela durante o consumo da cerveja apresentaram reações adversas no dia seguinte. “Nós amanhecemos com uma espécie de ressaca mais forte que o normal, porém eu não posso dizer que foi em decorrência do consumo da cerveja com algum tipo de objeto estranho dentro” afirmou Jucileide Marques, que estava com Raquel no momento em que a cerveja foi comprada. Apesar de ser passível de indenização, Raquel afirma que vai esperar a visita de um representante da AmBev para conversar sobre o incidente. A assessoria de comunicação da AmBev garantiu, de forma não-oficial - já que só um laudo técnico pode afirmar com certeza-, que é impossível se encontrar qualquer objeto dentro de uma garrafa dos produtos fabricados pela empresa. De acordo com a assessoria, apesar de a empresa dar todo o respaldo aos seus consumidores, existe muita gente desonesta e é comum a existência de pessoas que queiram se aproveitar. Semelhança No mês de dezembro do ano passado, a 4ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Maranhão negou provimento ao recurso ajuizado pela Companhia Maranhense de refrigerantes que havia entrado com recurso contra decisão que obrigava a empresa a pagar uma indenização de R$ 30 mil a consumidora Hilta dos Santos Almeida Neta. Hilta entrou com uma ação contra empresa após ter encontrado dentro de um recipiente lacrado de refrigerante Coca-Cola um inseto. O Instituto de Criminalística do Maranhão (Icrim) constatou que não houve violação do lacre do produto no qual a consumidora encontrou o inseto dentro.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade