Publicidade

Correio Braziliense

Padre defende inclusão social nas políticas de segurança pública

 


postado em 31/05/2009 18:20 / atualizado em 31/05/2009 18:20

A política para a segurança pública deve levar em conta a inclusão social, além do policiamento e a repressão ao crime. Essa é a posição que o representante da sociedade civil da cidade de São Paulo, padre Gunther Zgubic, pretende levar para a 1ª Conferência Nacional de Segurança Pública (Conseg), em Brasília, de 27 a 30 de agosto. Segundo Zgubic, quando um grupo é muito brutalizado, perde os vínculos sociais e comunitários. Por isso, ele ressalta a importância de se trabalhar junto aos segmentos mais vulneráveis como modo de prevenir a violência. Na avaliação de Zgubic, a mobilização iniciada pelas diversas organizações e redes sociais na Conferência Municipal de Segurança Publica deve continuar e ser uma força de integração para um trabalho conjunto em prol da inclusão social. A Conferência Municipal de Segurança Publica de São Paulo aconteceu ontem (30) e hoje (31), reunindo cerca de 400 pessoasda sociedade civil, acadêmicos e trabalhadores do sistema de segurança. Foram definidos sete princípios e 21 diretrizes para serem apresentados em agosto, na conferência nacional. O objetivo da Conseg é estabelecer os rumos da política nacional de segurança pública com base na participação popular.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade