Publicidade

Correio Braziliense

UFRN é segunda melhor universidade do Nordeste


postado em 02/09/2009 11:01

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) conseguiu a segunda melhor colocação entre as universidades federais do Nordeste, abaixo apenas da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) na avaliação do Índice Geral de Cursos (IGC), publicado pelo MEC. A UFRN obteve nota 4 (o máximo é 5) e uma média de 333 pontos, critério que pode chegar a 500. A Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Efersa), que conseguiu a nota 3 para 282 pontos, foi a segunda colocada no estado, sendo seguida pela Uern também com um índice de 3 para 246 pontos.

A Uern obteve a 2ª melhor avaliação das instituições estaduais na região, ficando atrás apenas da Bahia. Entre os institutos federais, o IFRN alcançou o índice 4 para 366 pontos, atingindo uma das melhores colocações no país. Dentre as instituições particulares, destaque para a UnP que obteve nota 3 para uma média de 256 pontos. Divulgado anualmente, o IGC indica a qualidade dos cursos de graduação e de pós-graduação (mestrado e doutorado) de todas as instituições deensino superior do país. O resultado final do IGC é expresso em valores contínuos (que vão de 0 a 500) e em faixas (de 1 a 5). Notas 1 e 2 são consideradas insatisfatórias e as instituições com notas 1 e 2 não podem abrir campi, novos cursos ou ampliar vagas até melhorar a qualidade do ensino. No Rio Grande do Norte apenas duas instituições ficaram com a nota 2 acendendo o sinal de alerta não podendo abrir novos campi, cursos ou ampliar vagas. Faculdade de Ciências Empresariais e Estudos Costeiros de Natal (Facen) e a Faculdade de Ciências e Tecnologia Mater Christi. O pro-reitor de Planejamento da UFRN, Emanoel Evangelista, comemora os dados do IGC. Para ele, os índices revelam uma trajetória de crescimento consistente que a UFRN vem trilhando nos últimos 15 anos, quando saiu de 10 para 30 mil alunos e até 2012 deve chegar a 45 mil. "A UFRN chega hoje a um patamar de maturidade acadêmica e científica, podendo ser comparada às melhores universidade brasileiras. Crescemos em todas as áreas acadêmicas, no ensino de graduação, pós graduação, pesquisa e extensão. Um crescimento não apenas numérico, mas houve melhoras substanciais na qualidade dos cursos de todas as áreas", justificou o pro-reitor de Planejamento. Descredenciamento Para comprovar o desempenho das instituições, após a aferição dos resultados do IGC, são feitas visitas in loco. Caso o resultado do indicador seja mantido, as instituições com notas 1 e 2 devem firmar termo de saneamento com a Secretaria de Educação Superior (Sesu) para melhorar a qualidade da educação. Elas têm até um ano para cumprir o termo. Dentro desse prazo, não poderão abrir novos campi, cursos ou ampliar vagas. Além disso, dependendo da gravidade do caso, poderão ter suas vagas reduzidas em cursos deficientes, suspensão dos processos seletivos temporariamente ou por tempo determinado, ou serem descredenciada. A partir dos resultados do IGC apontados no ano passado, em relação a 2007, cerca de 400 instituições já passaram por esse processo e até o momento, nove tiveram as notas inferiores a 3, nas aferições do IGC em 2007 e em 2008, confirmadas pelos especialistas durante a visita. Uma delas, a faculdade Cidade de João Pinheiro, em Minas Gerais foi descredenciada. (F.F.) Ranking no RN 1 - UFRN - 333 pontos, conceito 4 2 - Ufersa - 282 pontos, conceito 3 3 - IFRN - 265 pontos, conceito 3 4 - Farn - 263 pontos, conceito 3 5 - UNP - 249 pontos, conceito 3 6 - UERN - 246 pontos, conceito 3 7 - Câmara Cascudo - 237 pontos, conceito 3 8 - Fal - 215 pontos, conceito 3 9 - Facex - 211 pontos, conceito 3 10 - Mater Christi - 191 pontos, conceito 2 11 - Facen - 168 pontos, conceito 2

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade