Publicidade

Correio Braziliense VOO 1907

Tentativa de cassar licença dos pilotos

Advogado dos familiares das vítimas que morreram no acidente da Gol em 2006 acha brecha para pedir cancelamento do registro dos responsáveis pelo Legacy


postado em 12/12/2009 07:00

Lepore (de branco) e Paladino (boné) pilotavam o Legacy: sem comunicação(foto: Marcos Xavier/Reprodução/TV Cidade Verde/AE - 1/10/06 )
Lepore (de branco) e Paladino (boné) pilotavam o Legacy: sem comunicação (foto: Marcos Xavier/Reprodução/TV Cidade Verde/AE - 1/10/06 )
Os pilotos Joseph Lepore e Jan Paul Paladino, que conduziam o jato Legacy no momento da colisão com o Boeing da Gol, em 2006, culminando na morte das 154 pessoas a bordo, poderão ter a licença profissional cassada.

O advogado Dante D’Aquino, que representa a Associação dos Parentes e Amigos das Vítimas do Voo 1907, protocolou na sede da Federal Aviation Administration (FAA), semelhante à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), o pedido de cancelamento do registro dos pilotos, com base em decisão de outubro da entidade. Na ocasião, a FAA cassou sumariamente o certificado de Tïmothy B. Cheney, por ter voado cerca de 90 minutos sem acionar os equipamentos de comunicação do avião.

“Entendemos a decisão como um precedente. Veja que esse piloto norte-americano nem chegou a causar acidente, mas, pelo simples fato de não ter operado a aeronave adequadamente, teve o registro cancelado. Porque, então, pilotos que, no Brasil, cometeram as mesmas falhas e mataram 154 pessoas devem ser poupados? Vamos buscar a igualdade”, diz Dante.

O advogado anexou, no pedido de cassação da licença de Lepore e Paladino, moção de apoio ao pleito assinada por cerca de 230 deputados e 50 senadores. A FAA vai abrir processo administrativo para decidir o futuro da dupla. Está marcado para o primeiro semestre de 2010 o resultado da apuração.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade