Publicidade

Correio Braziliense

Tendências de inverno no calor carioca

Fashion Rio traz as apostas para a estação mais fria do ano


postado em 17/01/2010 15:32

Como quem brinca de materializar sonhos e sob um sol de derreter, o Fashion Rio apresentou entre os dias 8 e 13 deste mês as principais apostas para o que será tendência no inverno tropical brasileiro. Enquanto o público do evento se desdobrava para suportar o calor carioca, que na maioria dos dias atingiu picos de 41º, as modelos desfilavam com gorros de lã, meias de vinil, calças de couro e muito preto, marinho e brilho.

De início deu para perceber que os comprimentos das saias vão continuar lá em cima. Chova ou faça sol, as meninas precisarão manter as pernas em dia para exibi-las durante o resto do ano. O motivo é claro: assim como a Cidade Maravilhosa, a maior parte do Brasil não conhece inverno. Têca, Filhas de Gaia, Graça Ottoni e Acquastudio apostaram nos pequenos comprimentos que dão sensualidade e feminilidade às roupas.

A saia de cintura marcada e de pala alta é outro aspecto do verão que deve continuar forte no inverno. Essa aposta foi feita por quase todos os estilistas que passaram no Rio Fashion, como Walter Rodrigues.

Pelo que foi visto no Fashion Rio a estação do frio também será caracterizada pelas cores mais sóbrias (preto, azul Bic e vermelho fechado) com pinceladas que remetem ao nosso verão. Ou seja, também vai ter laranja, roxo, lilás, pink e mais cores vivas.

Outro hit nas passarelas foi o brilho. O lurex apareceu no desfile da Cantão, Printting, Coven e no estreante Lucas Nascimento. A novidade é que o material vem repaginado, abandonando as referências da Disco dos Anos 70 e se distanciando cada vez mais dos excessos brilhosos dos Anos 80. Em 2010 ele não aparece sozinho, nem de forma pura, mas em sintonia com o avanço das tecnologias têxteis.

É nessa onda de transformação que surge o tricô e o crochê que certamente serão utilizados com mais freqüência no Sul e Sudeste do país e terá referências leves nas roupas que chegarão ao nosso calorento Nordeste.

Essa moda pega?

Foi o que muita gente que trabalha analisando moda se perguntouquando a profusão de ombros marcados e estruturados foi apresentado nas passarelas. A estudante de moda Carolina Botelho, 23, se divide na resposta. "É muito bonito, dá uma estrutura mais elegante na composição do look, mas é difícil tirar das pessoas aquela imagem de que só os mais velhos usam esse tipo de roupa", analisou.

Desejo, necessidade

O frio que Juliana Jabour espera em 2010 é forte e sisudo. Mas o ar austero das roupas com referências militares (quepes, zíperes, botões grandes e jalecos) é alegrado com as meias de vinil coloridas. Lindas, marcaram as pernas e a cabeça de muitas meninas que estavam na platéia.

O retorno

Quase impossível encontrar uma mulher que passou a infância ou adolescência nos anos 80 e nunca usou um short-saia. Eles eram femininos e práticos. A ilusão de ótica provocada pela fórmula matemática conquistou a mulherada e foi vista nas passarelas.

O evento

A 16ª edição do Fashion Rio homenageou a escolha da Cidade Maravilhosa como sede das Olimpíadas de 2016. O tema apresentado foi "Rio Olímpico, Maravilhoso e fashion", que foi traduzido em um grande contador regressivo (dias, horas, minutos e segundos) instalado na entrada do Píer Mauá, zona portuária do Rio de Janeiro. Outra convergência do tema com as Olimpíadas é a exposição fotográfica Hoje Mais Sete, nas paredes externas dos armazéns do Píer Mauá - que passa por um intenso processo de revitalização. As fotos são de Gabriel Mendes e mostram anônimos, famosos e atletas estão se preparando para receber os Jogos Olímpicos na cidade, daqui a sete anos.