Publicidade

Correio Braziliense

Seis pessoas morrem em operação policial

Polícia Civil invade favelas do Complexo da Maré para desmontar quadrilha de roubos de carros comandada por traficantes. Dois bandidos também foram presos


postado em 03/05/2010 08:26

Duas favelas do Complexo da Maré, na Zona Norte do Rio de Janeiro, foram alvo de megaoperação da Polícia Civil que envolveu 250 homens e 20 delegacias. A ação tinha o objetivo de desmontar uma quadrilha de roubo de carros, chefiada pelo traficante Alessandro Francelino dos Santos, o Pitoco. O criminoso era acusado de ser o assassino do fotógrafo do jornal O Dia André Az(1), 34 anos, morto em fevereiro do ano passado numa tentativa de assalto na Avenida Brasil. Pitoco, acusado também de ter matado quatro policiais militares, e outras cinco pessoas morreram na operação de ontem. Os comparsas Roberto Vasconcelos Brum e Marco Antônio dos Santos Tavares, apontados como integrantes da quadrilha de Pitoco, foram presos.

Policiais revistam suspeito na entrada da favela Nova Holanda: tiroteio logo no começo da manhã de domingo(foto: Celso Meira/Agência O Globo )
Policiais revistam suspeito na entrada da favela Nova Holanda: tiroteio logo no começo da manhã de domingo (foto: Celso Meira/Agência O Globo )
A Secretaria de Segurança do Rio de Janeiro não costuma realizar operações no domingo, mas a data foi agendada com a intenção de atingir os diferentes objetivos das delegacias envolvidas, informou o titular da pasta, José Mariano Beltrame. A ação, além de ter recuperado 10 carros e 24 motos roubadas, resultou ainda na apreensão de quatro granadas, 1,5 mil trouxinhas de maconha, equipamentos para o conserto de armas e de uma prensa utilizada na embalagem de drogas. A operação teve como alvo as favelas Nova Holanda e Parque União e foi coordenada pelo delegado Ronaldo de Oliveira, diretor do Departamento de Polícia da capital.

A megaoperação recebeu o apoio de veículos blindados e de um helicóptero. Durante a ação, que teve início as 6h da manhã, policiais e traficantes trocaram tiros. Os bandidos colocaram um ônibus atravessado num dos principais acessos à favela para dificultar a movimentação dos agentes. Ao todo, 20 pessoas foram detidas pelos policiais.

A polícia reconheceu que uma das pessoas mortas na ação não era traficante. Segundo parentes da vítima, Márcio Marinho de Souza, 32 anos, teria sido atingido por uma bala perdida após sair de um baile funk. A polícia afirmou que Souza já estava baleado quando foi encontrado. Peritos analisaram o local para identificar de onde partiu o tiro que matou o rapaz. Outra moradora do complexo foi atingida de raspão no braço.


1 - Tiros
O repórter fotográfico foi morto a tiros em 25 de fevereiro de 2009, por volta das 19h30. De acordo com o boletim de ocorrência, ele estava um uma moto Honda Tornado quando foi atingido. Após ser baleado, o fotógrafo perdeu o controle da moto, bateu em uma mureta e acabou atropelado por veículos que passavam no local.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade