Publicidade

Correio Braziliense

Aeroviários ameaçam paralisar atividades


postado em 24/11/2010 08:15

Letras pretas em fundo amarelo recepcionavam os passageiros no Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek, em Brasília, ontem, com um recado incômodo. “Aumento real ou greve”, dizia a faixa sustentada por três representantes dos quase 50 mil trabalhadores do setor aéreo brasileiro — tanto os de tripulação quanto os de terra. O protesto se repetiu em outros terminais importantes, como os de São Paulo e do Rio de Janeiro, como forma de pressionar os donos das companhias aéreas a atenderem as reivindicações da categoria. As principais são reajuste salarial de 15% e 30% de aumento sobre os pisos e o vale-refeição. “Até agora, a única coisa que recebemos foi uma proposta indecente de adiarmos nossa data-base, em 1º de dezembro, para abril. Que força teremos em abril, baixa temporada, para negociar?”, questiona Luiz Carlos Pereira, diretor do Sindicato dos Aeroviários.

Pereira destaca que, a partir dos resultados de uma reunião marcada para amanhã, no Rio de Janeiro, entre os sindicalistas e os patrões, a categoria começará a mobilização para paralisar. “Hoje (ontem) só estamos fazendo um protesto nos aeroportos, mas conforme os rumos da negociação pensaremos em operação padrão ou greve”, destaca Pereira. Por meio da assessoria de imprensa, o Sindicato Nacional das Empresas Aéreas (Snea) afirmou que as negociações estão sendo levadas a bom termo. A entidade destacou acreditar em um acordo consensual com os trabalhadores a exemplo do ocorrido nos últimos anos. Além dos protestos com faixas, sindicalistas distribuíram ontem uma cartilha de mobilização com o título “Trabalhadores oprimidos, patrões cada vez mais ricos”.

A manifestação dos trabalhadores não alterou a rotina dos voos. Dos 1.779 programados para decolar até as 17h de ontem, horário mais atualizado pela Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) até o fechamento desta edição, 8% estavam atrasados — média considerada normal. E 4,4% haviam sido cancelados. A companhia Avianca foi a recordista tanto no ranking de saídas fora do horário previsto quanto nos cancelamentos.

Para a veterinária Naia de Brito e Alves, que voltava de um intercâmbio de 10 meses nos Estados Unidos, o problema se deu com a Delta Airlines. O avião que a trouxe de Atlanta até Brasília saiu atrasado, e Naia acabou perdendo a conexão para São Luís, onde mora. Apenas com um vale-refeição de R$ 38 e tendo que esperar quase 10h para pegar o próximo voo, a veterinária registrou reclamação na Anac, foi encaminhada ao Juizado Especial instalado no aeroporto. Mas de nada adiantou. “Terei que entrar com um processo lá em São Luís”, lamenta.

Greve cancela voos da TAP
» Todos os 16 voos entre Brasil e Portugal operados pela portuguesa TAP, agendados para hoje, foram cancelados em virtude da greve geral dos trabalhadores no país europeu. Além desses, quatro voos agendados para ontem, com chegada prevista para hoje, e 10 voos com saída prevista para hoje e chegada amanhã, também foram cancelados. Procurada pela reportagem, a TAP não soube informar o número de passageiros afetados. A companhia aérea divulgou comunicado com pedido para que os passageiros dos voos marcados desde das 22h de ontem até hoje entrem em contato com a empresa ou com o agente de viagens para alterar a passagem para datas fora do período de greve, cuja previsão é de apenas um dia. Veja como ficam os voos da empresa, de Brasília,

Alerta laranja
O Congresso Nacional, em Brasília (foto), e o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, receberam iluminação laranja na noite de ontem. O objetivo foi chamar a atenção dos brasileiros para os riscos do sol, alertar a população a respeito dos cuidados preventivos e também quanto à importância do diagnóstico precoce do câncer de pele. No próximo sábado, será realizada a 12ª edição da Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer de Pele, na qual mais de quatro mil profissionais de saúde — dermatologistas e enfermeiros — atenderão gratuitamente a cerca de 40 mil pessoas em 165 postos distribuídos em 24 estados do país e no Distrito Federal. Na ocasião será possível diagnosticar possíveis sintomas da doença e encaminhar aos hospitais públicos aqueles que precisarem de intervenção cirúrgica.

Responsável pela campanha, a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) disponibilizou uma linha gratuita para que os interessados possam consultar os locais de atendimento — basta telefonar para 0800 70 13 187 e informar o código postal da residência. No Distrito Federal, 160 especialistas da SBD foram mobilizados para participar da campanha, que conta com o apoio do Hospital Universitário de Brasília (HUB) e do Hospital Regional da Asa Norte (Hran). Os atendimentos serão realizados na Rodoviária do Plano Piloto, no próximo sábado, das 9h às 15h.

  • Tags
  • #
Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade