Publicidade

Estado de Minas

Coronel é acusado de matar por vingança

Ex-comandante dos Bombeiros teve o filho morto em assalto, em Curitiba. Polícia investiga se há ligação entre o militar e o assassinato de nove pessoas, todas usuárias de drogas


postado em 28/01/2011 08:05

Investigação conduzida pela Delegacia de Homicídios de Curitiba, Paraná, indica que um ex-comandante do Corpo de Bombeiros do estado pode ter sido autor do assassinato de nove pessoas, mortas entre outubro de 2010 e este mês. De acordo com o delegado Cristiano Santos, agentes da Polícia Civil paranaense cumpriram, na manhã de ontem, um mandado de busca e apreensão na casa do suspeito, o coronel aposentado Jorge Luiz Thais Martins, à procura de objetos que pudessem relacioná-lo às mortes. Eles foram recebidos por familiares de Martins, que moram no mesmo condomínio, e não conseguiram encontrar “nada de relevante que possa incriminá-lo”. Há ainda um mandado de prisão contra o ex-oficial, mas, de acordo com Santos, a delegacia espera que ele se apresente espontaneamente. O advogado do coronel esteve na casa do cliente pela manhã e afirmou aos policiais que o suspeito iria à delegacia até o fim do dia de ontem. No entanto, até às 20h, Martins não havia se apresentado.

Os assassinatos investigados são semelhantes e a polícia acredita que tenham sido praticados pela mesma pessoa. Todas as vítimas eram usuárias de drogas e estavam, no momento do crime, no bairro Boqueirão, um dos maiores da capital paranaense. Acredita-se que as execuções tenham relação com a morte do filho do coronel, assassinado a tiros, em 2009, durante uma tentativa de assalto, quando deixava a namorada em casa, na mesma região. Na época, a polícia chegou a prender dois dependentes químicos suspeitos, mas eles foram liberados em seguida por falta de provas.

O delegado Cristiano Santos diz que ainda não pode afirmar com exatidão a quantos processos o ex-comandante vai responder — e se é que vai responder, uma vez que sua autoria não está confirmada. “A investigação começou a ser feita pela equipe anterior da Delegacia de Homicídios. Nós assumimos na semana passada e estamos juntando os inquéritos para ver em quais desses crimes ele está sendo investigado”, explica.

Responsáveis pela apuração da série de mortes teriam chegado ao ex-comandante Jorge Luiz Martins depois que um dos usuários de drogas, não identificado, sobreviveu a uma tentativa de assassinato a tiros no bairro Boqueirão e conseguiu reconhecer o rosto do suspeito. No entanto, o delegado que cuida do caso diz que não teve acesso a esse depoimento. “Ainda não tenho informação se essa suposta vítima já foi ouvida. Se não foi, nós vamos procurá-la para interrogar sobre a acusação”, afirma Santos.


À LUZ DO DIA
Jorge Guilherme Marinho Martins, filho do ex-comandante do Corpo de Bombeiros paranaense, foi morto no início da manhã de 22 de outubro de 2009. Ele e a namorada, Jéssica de Andrade Casas, 21 anos, sofreram uma tentativa de assalto no início da manhã, quando chegavam à casa dela. Jorge morreu no local e Jéssica levou tiros no antebraço e no tórax, mas sobreviveu aos ferimentos.

  • Tags
  • #
Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade