Publicidade

Estado de Minas

Dentista é sequestrada e família mantida refém em Nova Lima, região de MG

Dentista, marido, filhos e dois funcionários do prédio na Alameda do Morro ficaram sob a mira de três homens armados. Os bandidos conseguiram fugir levando um Kia Sorento da família além de dinheiro, joias, TV, celulares e roupas


postado em 30/04/2013 12:31

Prédio onde a família ficou soba mira de bandidos em Nova Lima (foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press)
Prédio onde a família ficou soba mira de bandidos em Nova Lima (foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press)

Uma dentista e a família dela ficaram sob a mira de bandidos durante a madrugada desta terça-feira (30/4) em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Renata Antonini Pimenta, 37, foi rendida no Bairro Belvedere, Região Centro-Sul da capital e levada para o prédio onde mora na Alameda do Morro por três criminosos armados.

Ela havia saído da casa dos pais no Bairro Serra, por volta de 23h, e no meio do caminho foi cercada pelos criminosos, que estavam em duas caminhonetes. Eles fecharam o carro da dentista, o Kia Sorento, placa OLX 6940, e três assaltantes invadiram o veículo.

Antes de seguir para o apartamento, Renata foi obrigada a rodar com os bandidos por vários pontos da cidade, onde eles tentaram fazer compras com o cartão da vítima, porém sem sucesso. O que parecia ser um sequestro relâmpago se tornou uma madrugada de terror. Todos seguiram para o edifício onde Renata mora e entraram pela garagem sem levantar pistas.

Leia mais notícias em Brasil

Os homens passaram parte da madrugada dentro do apartamento da dentista mantendo-a refém junto com o porteiro do edifício, Hernandes Alves de Souza, 37, o marido da dela, Frederico Colaris Pimenta, três filhos do casal e uma funcionária da família. Os criminosos pegaram dinheiro, joias, TV, celulares e roupas, enquanto os reféns eram mantidos presos em um banheiro.

Na fuga, os assaltantes levaram dois carros da família, um Renault Fluence e o Kia Sorento de Renata, onde foram colocados o porteiro e a dentista. No porta-malas, os dois reféns ficaram por mais de quatro horas até serem abandonados em uma estrada de terra em São Sebastião das Águas Claras, distrito conhecido como Macacos, também na Grande BH.

As polícias Militar e Civil montaram uma operação de busca pelos reféns depois que Frederico acionou o 190. O marido da dentista relatou o crime e pediu ajuda. Renata e o porteiro foram resgatados no Sorento, mas os criminosos fugiram no outro veículo e ainda não foram localizados. A polícia está em busca dos criminosos e temem que eles façam algum saque na conta de Renata.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade