Publicidade

Estado de Minas

Infográfico: entenda como ocorreu o rompimento da barragem em Mariana

Os rejeitos percorreram mais de 800km em 15 dias, destruindo o que encontravam no caminho


postado em 23/11/2015 11:44 / atualizado em 23/11/2015 13:14

Um rio de lama, distritos destruídos e centenas de vidas devastadas. O rompimento da Barragem Fundão, em Mariana (MG), há duas semanas, arrasou mais que uma região do país. Causou um desastre ambiental irreparável e vitimou famílias. O marrom dos rejeitos que percorreram mais de 800km em 15 dias descoloriu para sempre a vida de centenas de mineiros. São pessoas que perderam casas, parentes — sete mortes relacionadas ao acidente e quatro pessoas ainda não identificadas —, empregos e até o desejo de continuar vivendo. A quebra da estrutura da barragem virou um marco na vida de milhares de atingidos. Sem lar, desabrigados vivem sob tetos emprestados ou convivem em colégios e ginásios. As roupas vieram de doações. Para cada um daqueles que perderam tudo restaram apenas as lembranças do passado. As punições à mineradora Samarco, da Vale e da anglo-australiana BHP Billiton não devolverão a história às famílias. Aqueles 55 milhões de metros cúbicos de rejeitos lavaram o presente dos distritos de Bento Rodrigues e de Paracatu de Baixo, matando o Rio Doce de Minas Gerais até o Espírito Santo. Na noite de sexta-feira, o vocalista Eddie Vedder, do Pearl Jam, discursou sobre a tragédia em Mariana e prometeu ajudar as vítimas, com a doação do cachê. Durante o show no Mineirão, pediu às 42 mil pessoas que compareceram que acendessem as luzes de seus celulares em solidariedade pelo atentado de Paris. “É duro quando grandes empresas usam e abusam de terras apenas para lucrar sem nenhum respeito pelo meio ambiente. Acidentes tiram vidas, destroem rios e, ainda assim, eles conseguem lucrar. Esperamos que eles sejam punidos, duramente punidos e cada vez mais punidos para que nunca esqueçam o triste desastre causado por eles”, afirmou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade