Publicidade

Correio Braziliense

É a vez dos "gêmeos da Federal" roubarem a cena durante ação da PF

Depois do "japonês da Federal" e do "hipster da Federal", agentes "gêmeos" chamam atenção durante cumprimento de condução coercitiva do presidente da Assembleia Legislativa do Rio, Jorge Picciani


postado em 15/11/2017 12:21 / atualizado em 15/11/2017 14:29

"Gêmeos" da Federal durante condução coercitiva contra o presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, Jorge Picciani (foto: Clecio Dos Santos Veras/CB (CB - Industrial))

 
É rotina para os agentes da Polícia Federal aparecerem nas primeiras páginas dos jornais ao lado de investigados famosos, conhecidos por ser suspeitos de aplicar golpes milionários em todo o Brasil. Alguns deles chamam a atenção e rendem comentários e memes na internet, como foi o caso do "japonês da Federal" e do "hipster da Federal". Desta vez, o alvo são os agentes "gêmeos", que cumpriram uma condução coercitiva contra o presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, Jorge Picciani, na última terça-feira (13/11).
 

A PF não confirmou oficialmente se os agentes são gêmeos, muito menos irmãos. O órgão não tem autorização para divulgar informações pessoais de seus servidores. Porém, as fotos da operação mostram uma forte semelhança entre eles e os internautas não perderam a oportunidade de tecer comentários. "A Federal e suas peculiaridades... Não vc não está vendo montagem... São os gêmeos da federal", disse uma usuária do Facebook. "Não quero nem saber se são gêmeos univitelinos, bivitelinos ou xipófagos, quero é que passem o rodo e prendam os bandidos que roubam o povo do Rio", disse outro internauta.

Os dois agentes, ambos de cabelos grisalhos, barba, porte físico e altura praticamente iguais, participaram da Operação Cadeira Velha, um desdobramento da Operação Lava-Jato, e encaminharam Picciani à sede da PF para prestar depoimento nessa terça-feira (14/11). De acordo com as investigações, o esquema criminoso mantido por servidores, políticos e órgãos fiscalizadores, entre outros agentes, teria movimentado cerca de R$ 260 milhões. O ex-governador Sérgio Cabral (PMDB) teria recebido R$ 122,8 milhões em propina entre 2010 e 2016 – ele deixou o cargo em 2014.

Agentes famosos


Outras operações da PF colocaram em evidências outros personagens, como o japonês da Federal. Ele ficou conhecido durante o cumprimento de mandados de busca e apreensão da Operação Lava-Jato e acabou por se tornar um símbolo da ação poilicial contra a corrupção. A fama não durou muito, pois, em junho do ano passado, Newton Ishii foi preso pelo crime de facilitação do contrabando. A pena foi de quatro anos, dois meses e 21 dias.

Em outubro de 2016, o agente Lucas Soares Dantas Valença arrancou suspiros dos internautas pela beleza e foi apelidado de hipster da Federal. Barbudo, ele usava um coque alto no cabelo e foi um um dos responsáveis por encaminhar o então deputado Eduardo Cunha até a prisão. Ele chegou a dar entrevistas para programas de televisão e posar para fotos.

A PF também tem um Rodrigo Hilbert. O policial Jorge Chastallo atraiu holofotes em operação de segurança montada para escoltar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante os depoimentos prestados em maio em Curitiba. O agente atua no Grupo de Pronta Intervenção da Polícia Federal (GPI) e se parece com o apresentador e modelo casado com Fernanda Lima.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade