Publicidade

Correio Braziliense

Convite de formatura "sincero" de universitário vira hit nas redes sociais

"Passado seis fucking longos anos e acabou essa desgraça", brincou o estudante no convite de formatura


postado em 13/12/2017 18:08 / atualizado em 13/12/2017 18:18

(foto: Lucas Jansen/Reprodução/Facebook)
(foto: Lucas Jansen/Reprodução/Facebook)


Após seis anos de faculdade, o estudante Lucas Jansen, de 23 anos, decidiu fazer um texto inusitado no convite para a formatura do curso de Direito. Não satisfeito com os tradicionais textos oferecidos pelas empresas, ele fez a própria mensagem para parentes e amigos. "A empresa de formatura mandou umas quatro opções diferentes de texto, mas percebi que eles eram muito aquilo que está em todo o convite. Então tirei 20 minutinhos para fazer algo que tivesse mais a minha cara", explica o formando. O resultado foi um misto de desabafo com comicidade que em poucos minutos ganhou o Brasil. "Aos meus inimigos, gostaria de dizer que acabou, estou formado e pronto para meter o famoso processinho", brinca na mensagem.

O rapaz publicou a imagem do convite no próprio Facebook e a repercussão foi imediata: em pouco mais de 24 horas, ela ultrapassou a marca dos 22 mil compartilhamentos e 40 mil reações nas redes sociais. “Eu vou salvar essa foto e ler todos os dias até o fim do curso pra ver se eu aguento terminar. Que texto tão verdadeiro”, brincou uma das internautas em comentário.

A velocidade com a qual a foto ganhou o Facebook surpreendeu até mesmo o dono da mensagem. “Gosto muito de brincar, de tirar onda, pensei que fosse ser a mesma coisa que outras fotos que coloco brincando”, lembra. Se a internet aprovou, a princípio, a família de Lucas ficou dividida. “Meu pai achou engraçado de início, disse que eu era doido, minha mãe não gostou muito a princípio, mas agora está adorando, disse até que estava muito orgulhosa”, conta.

Confira o texto de Lucas:


Passado seis fucking longos anos e acabou essa desgraça. A faculdade começou de uma maneira maravilhosa, estava empolgado com um novo ambiente, novos professores, novas amizades. Pobre iludido era eu. Foram-se os anos e eu já estava surtando com os assuntos acumulados, vários trabalhos para entregar, provas cujo único objetivo era foder com minha vida social e desgastar meus neurônios, sem falar na demora de colocar a nota no sistema, né? Jesus, eu já não estava aguentando, pisar na faculdade no fim do curso era um tormento, eu olhava na cara dos professores e lia em suas testas “atura ou surta”, meus colegas me davam raiva (principalmente aqueles que ao fazer uma pergunta na aula dão uma palestra. Nunca seja esse tipo de pessoa!), todos os dias eu olhava para aquele lugar e dizia: não dá mais. E pra completar, no último ano, ainda tive que estudar para maldita prova da OAB e entregar um TCC. Aos meus inimigos, gostaria de dizer que acabou, estou formado e pronto para meter o famoso processinho. E como diria um filósofo contemporâneo cujo nome eu não me lembro, “não estudo para ser chamado de doutor, estudo para ser chamado de rico”.
Lucas Lima Jansen

Via Curiosamente.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade