Publicidade

Correio Braziliense

Pobreza extrema avança e atinge 24,8 milhões de brasileiros em 2016

Em 2016, 12,1% da população do país ganhava abaixo de 25% do salário mínimo


postado em 15/12/2017 10:32 / atualizado em 15/12/2017 16:03

Os 12,1% da população em situação de pobreza extrema mostra crescimento em relação aos últimos dois anos.(foto: Daniella Sasaki/Esp. CB/D.A Press)
Os 12,1% da população em situação de pobreza extrema mostra crescimento em relação aos últimos dois anos. (foto: Daniella Sasaki/Esp. CB/D.A Press)

 
A pobreza extrema ainda é um problema social longe de estar solucionado. Em 2016, 12,1% da população do país ganhava abaixo de 25% do salário mínimo. Em números absolutos, isso significa um total de 24,8 milhões de brasileiros procurando a sobrevivência com rendimentos inferiores a ¼ do piso salarial, que, no ano passado, era de R$ 880. É o que aponta o Síntese de Indicadores Sociais (SIS) divulgado nesta sexta-feira (15/12) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
 
 
Os 12,1% da população em situação de pobreza extrema mostra crescimento em relação aos últimos dois anos. Em 2015, essa proporção era de 9,2%. Em 2014, de 8%, quando havia atingido o menor nível histórico já registrado. O aumento do número de brasileiros com renda inferior a 25% do salário mínimo é o claro reflexo da longa e duradoura recessão pela qual o país enfrentou.
 
Com o aumento do desemprego, muitos chefes de família perderam a ocupação e, com isso, o poder aquisitivo necessário para manter o poder de compra em milhares de lares brasileiros. E não foi só isso. Em um cenário de crise fiscal, o governo federal suspendeu reajustes ao programa Bolsa Família, bem como outros programas sociais tiveram alguns recursos cortados em boa parte de 2016.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade