Publicidade

Correio Braziliense

Crivella fecha contrato com Caixa para reformar 150 escolas no Rio

Foram adotados critérios por engenheiros e arquitetos às instituições que mais precisam, como problemas em telhados e instalações elétrica e hidráulica


postado em 15/12/2017 20:18

Cerca de 150 escolas no município do Rio de Janeiro serão, enfim, reformadas. Os recursos virão de um contrato firmado nesta sexta-feira (15/12) pelo prefeito da capital fluminense, Marcelo Crivella, com a Caixa Econômica Federal. A instituição financeira concederá um empréstimo de R$ 200 milhões, com prazo para pagamento de 10 anos. 

As reformas contemplarão uma vontade antiga de Crivella. “Quando assumi no começo do ano, ocorreu uma situação trágica. Um portão grande caiu e matou uma criança em uma escola. Desde aquele dia, eu comecei a tratar de como é que iríamos fazer obras públicas nas redes municipais de ensino”, destacou o prefeito, após reunião com o presidente da República, Michel Temer. 
 

Os 150 colégios que serão reformados já estão definidos. Foram adotados critérios por engenheiros e arquitetos às instituições que mais precisam, como problemas em telhados, instalações elétrica e hidráulica, e até estruturais. “Agora, é abrir o processo de licitação, e contratar os projetos arquitetônicos, de estrutura, orçar, e fazer as obras”, afirmou Crivella. 

Na reunião, Temer não deixou de cobrar de Crivella, filiado ao PRB, e de deputados do partido, apoio pela aprovação da reforma da Previdência. “O presidente mais uma vez comentou com o líder (deputado federal Cléber Verde (PRB-MA) a importância disso, de se aprovar a reforma”, disse o prefeito. 

A reunião ocorreu após a posse do ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun. Antes do encontro com Crivella e deputados do PRB, Temer recebeu o governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão. Acompanhado do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, o chefe do Executivo Federal assinou o contrato de recuperação fiscal firmado entre a União e o estado do RJ. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade