Publicidade

Correio Braziliense

Festa de fim de ano de multinacional acaba com diretor no Brasil demitido

O problema veio quando uma foto do evento começou a circular pelas redes sociais, até chegar à sede da empresa em San Francisco, nos EUA


postado em 05/01/2018 12:27 / atualizado em 05/01/2018 12:55

Um dos funcionários, da área de vendas, pensou que abafaria imitando um meme popular no WhatsApp para tentar levar o primeiro lugar no concurso o dito 'Negão do WhatsApp'(foto: Reprodução/Internet )
Um dos funcionários, da área de vendas, pensou que abafaria imitando um meme popular no WhatsApp para tentar levar o primeiro lugar no concurso o dito 'Negão do WhatsApp' (foto: Reprodução/Internet )
 
É comum que, depois de um ano estressante de trabalho intenso, as empresas façam confraternizações entre os funcionários. Afinal, ninguém é de ferro, né? Porém, uma dessas festas de fim de ano acabou indo longe demais e acarretou na demissão do diretor executivo da multinacional Salesforce no Brasil – empresa conhecida por produzir softwares para diversas empresas como a Embraer e a iFood.
 
 
Durante a festa, foi realizado um concurso de fantasias entre os funcionários, em que o primeiro colocado levaria a bagatela de R$ 3 mil para casa. A decisão seria tomada em conjunto por meio de uma votação entre os quase 250 participantes da confraternização.

Aí que tudo começou a dar errado. Um dos funcionários, da área de vendas, pensou que abafaria imitando um meme popular no WhatsApp para tentar levar o primeiro lugar no concurso – o dito ‘Negão do WhatsApp’ ou ‘Negão da Piro*a’ – meme que é considerado racista. Ele, então, vestiu-se com uma camisa azul, uma toalha no ombro, um chapéu rosa e, tal qual o personagem, produziu uma ‘prótese’ para imitar o ‘avantajado pênis’ do meme. O funcionário ficou em quarto lugar.
  
O problema veio quando uma foto do evento – em que o tal funcionário aparece no centro – começou a circular pelas redes sociais, até chegar à sede da empresa em San Francisco, nos EUA. Ninguém sabe, ao certo, o que aconteceu e qual foi o impacto real que a fotografia gerou na diretoria-mor da empresa, mas o fato é que o funcionário fantasiado, o diretor comercial e, até mesmo, o presidente da filial brasileira acabaram demitidos.

A empresa confirmou o desligamento dos funcionários, mas afirmou que não comentará o assunto.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade