Publicidade

Correio Braziliense

Motorista que atropelou 17 negou ter epilepsia durante validação médica

De acordo com o Detran-RJ, pessoas com epilepsia podem tirar habilitação, mas precisam passar por avaliação neurológica para receber a CNH


postado em 19/01/2018 11:23 / atualizado em 21/02/2018 12:29

O motorista Antonio Almeida Anaquim, que atropelou 17 pessoas em Copacabana (foto: Reprodução Internet)
O motorista Antonio Almeida Anaquim, que atropelou 17 pessoas em Copacabana (foto: Reprodução Internet)

  
Responsável pelo atropelamento de 17 pessoas na noite de quinta-feira (18/1), na orla de Copacabana, no Rio de Janeiro, o motorista Antonio de Almeida Anaquim negou, durante exame de validação médica no Detran-RJ, ter qualquer doença neurológica, inclusive epilepsia. O homem alegou que, no momento do acidente, teria tido uma crise de epilepsia e perdido o controle do carro.

De acordo com o órgão de trânsito carioca, pessoas com epilepsia podem tirar habilitação. No entanto, para ter a CNH validada, precisam passar por uma avaliação neurológica. A Associação Brasileira de Epilepsia (ABE) diz que cerca de 90% das pessoas com epilepsia não mencionam suas crises ao solicitarem licença para dirigir. 

Ainda segundo a ABE, se a pessoa mentir, ocultando seu distúrbio ou uso de medicamentos, poderá ser responsabilizado penalmente por crime de falsidade ideológica e terá a cassação da habilitação. Se causar dano patrimonial ou atentar contra a saúde, integridade física ou vida de alguém, responderá civilmente e penalmente na forma da lei.
 
No veículo de Anaquim, a polícia encontrou medicamentos para tratar a doença. O motorista não estava alcoolizado, de acordo com o resultado de exame feito pelo Instituto Médico-Legal (IML).
 
Ver galeria . 12 Fotos Um carro invadiu o calçadão de Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro, e atropelou 17 pessoas na noite de 18/1/18PMERJ/Divulgação
Um carro invadiu o calçadão de Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro, e atropelou 17 pessoas na noite de 18/1/18 (foto: PMERJ/Divulgação )
 

Carteira suspensa

A nota divulgada pelo Detran-RJ diz que o motorista Antonio de Almeida Anaquim teve processo de suspensão da CNH aberto em maio de 2014. Na carteira do motorista constam 14 multas, que somam 62 pontos em infrações.

“No entanto, o cidadão não cumpriu com a exigência de devolução da CNH para realização de curso de reciclagem. Por cometer uma infração de trânsito ao dirigir com a carteira suspensa, o Detran já instaurou o processo de cassação da CNH do cidadão, como determina a legislação federal de trânsito”, informou o órgão.

Atropelamento na Orla de Copacabana

Por volta de 20h30 dessa quinta-feira (18/1), Antonio de Almeida Anaquim perdeu o controle do veículo que dirigia e invadiu a calçada da Orla de Copacabana, no Rio de Janeiro. Devido ao horário de verão e ao período de férias, o local ainda estava cheio e 17 pessoas foram atingidas. Um bebê de 8 meses morreu e quatro pessoas em estado grave, incluindo duas crianças e um turista australiano.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade