Publicidade

Correio Braziliense

Tremor de terra assusta moradores e causa danos em Maceió

Rachaduras apareceram nas paredes de residências dos locais afetados e o asfalto cedeu em algumas ruas


postado em 03/03/2018 17:15 / atualizado em 03/03/2018 21:18

(foto: Divulgação/Eduardo Ribeiro)
(foto: Divulgação/Eduardo Ribeiro)
 
Um tremor de terra causou pânico em Maceió, capital de Alagoas, na tarde deste sábado (3/3). Por conta do abalo sísmico, o asfalto cedeu em algumas ruas e diversas residências apresentaram rachaduras. A Defesa Civil está fazendo uma ronda nos bairros da capital para avaliar os danos. Desesperados, moradores esvaziaram saíram de vários prédios e foram para o meio da rua.
 
 
 
O Corpo de Bombeiros de Maceió informou que recebeu diversos chamados de moradores assustados. Até o momento, não existem relatos de feridos. O tremor foi sentido nos bairros de Pinheiro, Serraria, Farol, Bebedouro, Jatiúca e Cruz das Almas. Pouco antes da terra se movimentar, a chuva que atingia a cidade alagou ruas e prejudicou o trânsito. Buracos que já estavam abertos nas vias cresceram com o movimento do asfalto.

Diversos moradores relataram o fenômeno nas redes sociais. O músico Luiz Gustavo, morador da capital alagoana, relatou pelo Twitter que se assustou com o abalo sísmico. "Meu prédio tremeu. Achávamos que era problema na estrutura. Mas as notícias informam que o tremor atingiu vários bairros. Coisa de maluco, nunca vi isso por aqui", afirmou. 

O professor George França, do Laboratório Sismológico da Universidade de Brasília, afirmou que os equipamentos da instituição não detectaram ondas mecânicas em decorrência do abalo, mas tudo indica que a região foi atingida por um terremoto. "Conseguimos ver um sinal. Mas não conseguimos detectar a magnitude. É possível que tenha sido pequena. A única instituição que pode ter detectado esse abalo é a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN)", afirmou. O Correio tentou contato com a UFRN, mas funcionários da instituição informaram que os professores responsáveis pelo laboratório de sismologia não estavam no local.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade