Publicidade

Correio Braziliense

Homenagem? Campanhas pelo Dia da Mulher geram polêmica nas redes sociais

No DF, por exemplo, um time ofereceu entrada gratuita para mulheres em um jogo... desde que elas estivessem acompanhadas do marido ou namorado


postado em 08/03/2018 21:26 / atualizado em 08/03/2018 21:27

(foto: Reprodução)
(foto: Reprodução)

Você certamente já ouviu a clássica frase "o que vale é a intenção". Normalmente, elas acompanham um presente de gosto duvidoso (pra não dizer ruim mesmo). A mesma frase poderia muito bem ser utilizada neste 8 de março, quando várias empresas e órgãos públicos divulgaram campanhas em homenagem ao Dia Internacional da Mulher. Algumas delas, porém, apesar da pretensa boa intenção, acabaram desagradando e provocando polêmica nas redes sociais.

Em Curitiba, a Secretaria da Família e Desenvolvimento Social decidiu instalar cílios em um semáforo. Em nota, a Coordenação da Política da Mulher — responsável pela ação — disse que o semáforo fica próximo ao Museu Oscar Niemeyer, onde acontecia um seminário em homenagem ao Mês da Mulher e que "os cílios simbolizam o olhar atento da mulher sobre a garantia de seus direitos". Informou também que "a ação não acarretou custos, pois o material plástico da confecção é reciclado e foi doado e a mão de obra de funcionários na confecção e instalação dos cílios foi voluntária".
 
 
 
 
Uma das maiores companhias do mundo, o McDonald's também teve sua campanha questionada. Em uma lanchonete da rede, um banner dizia que aquela loja estava "operando com equipe 100% feminina". Os internautas começaram a se questionar se os funcionários homens receberam folga. Mas não foi o que aconteceu, de acordo com a empresa. Em nota, o McDonald's Brasil disse que eles foram remanejados para outras unidades: "Lamentamos que alguns clientes tenham concluído a mensagem de maneira equivocada". 
 
 

Também teve polêmica no DF. Para a partida contra o Gama, válida pela 10ª rodada do Campeonato Candango, a equipe do Luziânia decidiu liberar a entrada para mulheres, desde que... acompanhadas do "marido, namorado". Procurado pela reportagem, o clube explicou que a ideia, na verdade, era fazer com que mais gente comparecesse ao estádio e que as mulheres desacompanhadas também tiveram a entrada gratuita. Apesar de o borderô do jogo ainda não ter sido liberada, o Luziânia disse que cerca de duas mil pessoas — entre homens e mulheres — assistiram ao confronto.
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade