Publicidade

Correio Braziliense

Aluna acusa instrutor de autoescola de estuprá-la durante aula em Minas

De acordo com o boletim de ocorrências, o suspeito tocou as partes íntimas da jovem e tentou beijá-la a força. Segundo a PM, o homem está foragido


postado em 04/04/2018 10:04

Um instrutor de uma autoescola de Uberlândia, no Triângulo Mineiro, é suspeito de estuprar uma jovem de 18 anos durante uma aula nas dependências do centro de formação de condutores Auto Escola Mundial. O suspeito, de 37 anos, ainda não foi encontrado pela Polícia Militar (PM).

De acordo com o boletim de ocorrências, o caso aconteceu no início da tarde desta segunda-feira, durante uma aula no simulador de direção. A vítima afirmou que teve o corpo apalpado pelo suspeito várias vezes, inclusive chegando a tocar sua genitália. Segunda ela, esta foi a primeira vez que teve aula com o instrutor.

Em seu depoimento, ela conta que o suspeito trancou a porta da sala e impediu que ela saísse. Ela ainda afirma que mesmo pedindo para que ele parasse, o instrutor continuou com os abusos usando de força física e tentou beijá-la diversas vezes. 

Segundo a vítima, quando terminou o horário da aula, o instrutor saiu da sala, deixando-a sozinha. Desesperada, a jovem conta que pediu ajuda a sua mãe, que a levou até a polícia para registrar o boletim de ocorrência. Por não haver flagrante, a Polícia Civil aguarda a representação da vítima na Delegacia Especializada da Mulher. 

A PM foi acionado e tentou encontrar o suspeito, inclusive na casa dele, mas não obteve sucesso. A Polícia Civil solicitou a gravação das câmeras do simulador no Departamento Estadual de Trânsito de Minas Gerais (Detran) e aguarda a liberação das imagens, que servirão para dar continuidade às investigações.

Procurada pela reportagem do Estado de Minas, a autoescola Mundial informou que o funcionário foi afastado de suas atividades até que as investigações sejam concluídas. Em nota, a empresa ainda afirma que está a "disposição das autoridades para contribuir com as investigações do fato e que irá aguardar o resultado das investigações para se pronunciar novamente". 

*Sob supervisão da subeditora Jociane Morais, do Estado de Minas

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade