Publicidade

Correio Braziliense

Instabilidade em radar afeta aeroportos e atrasa voos no Rio e em São Paulo

A instabilidade exigiu a adoção de um procedimento de segurança no gerenciamento de fluxo do tráfego aéreo


postado em 05/04/2018 11:23

No Galeão, dos 44 voos programados para até as 10h52, houve atraso em 20(foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil - 22/8/16)
No Galeão, dos 44 voos programados para até as 10h52, houve atraso em 20 (foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil - 22/8/16)

 
Um problema de instabilidade no sistema de visualização radar no Rio de Janeiro afeta na manhã desta quinta-feira (5/4) o Aeroporto Internacional Tom Jobim e o Aeroporto Santos Dumont, com reflexos no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo. No momento, o Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea) trabalha para a normalização das operações.

No Galeão, dos 44 voos programados para até as 10h52, houve atraso em 20 (45,45%) deles e não houve cancelamentos até esse horário. Já no Santos Dumont, três voos decolaram com atraso inferior a 30 minutos na manhã de hoje e também não houve cancelamentos.

Segundo a Infraero, o problema causa reflexos no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, onde nove voos aguardam autorização para decolar para o Santos Dumont.

Segundo o Centro de Gerenciamento da Navegação Áerea (CGNA), a instabilidade exigiu a adoção de um procedimento de segurança no gerenciamento de fluxo do tráfego aéreo. Foi ampliada a separação entre as aeronaves em voo, o que impacta o horário de pousos e decolagens nos dois aeroportos.

A medida "busca manter o elevado nível de segurança das operações, com o menor impacto possível para os passageiros", segundo a Aeronáutica.

A concessionária que opera o Aeroporto Internacional Tom Jobim, a RioGaleão, informou que reforçou as equipes de atendimento e segurança nos terminais para orientar passageiros e acompanhantes. Com o problema, o intervalo entre pousos e decolagens aumentos desde as 8h17. O balanço completo sobre os atrasos deve ser divulgado quando a situação estiver normalizada.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade