Publicidade

Correio Braziliense

Indústria de armas não letais faz doação para a segurança pública do Rio

Foram doados pistolas elétricas incapacitantes, spray de agente lacrimogêneo, munições de impacto controlado e entre outras


postado em 06/04/2018 16:05

(foto: Tania Rego/Agencia Brasil)
(foto: Tania Rego/Agencia Brasil)

 
A área de segurança pública do Rio recebeu nesta sexta-feira (6/4) a doação de cerca de R$ 2,4 milhões em armamentos e munições não letais. O material foi entregue ao interventor federal na segurança pública do estado do Rio de Janeiro, general Walter Braga Netto, pelo presidente da empresa Condor e do Sindicato Nacional das Indústrias de Materiais de Defesa (Simde), Carlos Erane Aguiar.

A cerimônia ocorreu no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), na Cidade Nova, região central do Rio. O Gabinete de Intervenção Federal (GIF) vai repassar o material à Secretaria de Estado de Segurança do Rio de Janeiro (Seseg).

Segundo o GIF, entre os 16,5 mil equipamentos não letais doados pela empresa estão dez kits de pistolas elétricas incapacitantes; 3 mil sprays de agente lacrimogêneo; 3 mil projéteis de gás lacrimogêneo; 500 granadas manuais de gás lacrimogêneo com chip de rastreabilidade; 10 lançadores de munição não letal e 10 mil munições de impacto controlado. A Condor é uma empresa sediada na região metropolitana do Rio de Janeiro, com mais de 30 anos de funcionamento.

O general Braga Netto agradeceu a doação e destacou o comprometimento da indústria de defesa nacional com o sucesso da intervenção federal. “Estamos atuando para a melhora do ethos militar da Polícia Militar e elevar a capacidade investigativa da Polícia Civil, cada um dentro da sua esfera de atribuição, mas trabalhando com sinergia. Essa doação vem em excelente hora e mostra que o país inteiro está voltado para que a sensação de segurança no Rio de Janeiro volte a melhorar”, disse.

Segundo nota no Twitter da Secretaria de Segurança Pública, o chefe da Polícia Civil, delegado Rivaldo Barbosa, disse que a doação tem uma representatividade muito grande por dois motivos. A primeira em razão da crise econômica. A segunda pela importância dos equipamentos, pois demonstram “a nossa atuação no uso progressivo da força”.

Participaram também da cerimônia o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Luís Cláudio Laviano; o chefe de Polícia Civil, Rivaldo Barbosa; o assessor de Relações Institucionais do GIF, general Sérgio Pereira, e o conselheiro estratégico da Condor e presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança (Abimde), Frederico Aguiar.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade