Publicidade

Correio Braziliense

Governo de Minas concede licença para construção do novo Bento Rodrigues

Região conhecida como Lavoura já tem aval necessário para começar a receber as casas que foram destruídas pela tragédia de Mariana


postado em 05/07/2018 13:40

Ruínas de Bento Rodrigues, devastado pelo tsunami de lama(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press - 3/10/17)
Ruínas de Bento Rodrigues, devastado pelo tsunami de lama (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press - 3/10/17)

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) entrega, nesta quinta-feira, a licença ambiental que autoriza o início das obras para construção do novo Bento Rodrigues, subdistrito de Mariana, na Região Central de Minas Gerais, que foi devastado pela lama da Barragem de Fundão, que se rompeu em 5 de novembro de 2015. 

A pasta que cuida do meio ambiente em Minas já analisou o processo de licenciamento ambiental da construção do novo Bento e deu parecer favorável ao empreendimento na região conhecida como Lavoura, terreno aprovado pelos moradores para que as novas casas sejam construídas. A entrega da licença será feita à Fundação Renova, constituída para gerir a recuperação do meio ambiente após a tragédia de Mariana.

Ver galeria . 7 Fotos TV Globo / Reprodução
(foto: TV Globo / Reprodução )


O novo distrito deverá preservar ao máximo as características originais e os aspectos patrimoniais, urbanísticos e culturais – sobretudo a relação com a vizinhança – de Bento Rodrigues.

Em 8 de fevereiro, o projeto urbanístico conceitual do reassentamento do novo subdistrito de Mariana foi aprovado pela maioria das famílias, que perderam tudo na tragédia. Foram 179 votos favoráveis ao projeto do total de 180 válidos das famílias desabrigadas. Segundo a Fundação Renova, ficou decido que serão entregues lotes com tamanho igual ou superior a 250 metros quadrados. Os moradores que tinham moradias maiores receberão novas residências de acordo dimensões combinadas. 

A expectativa é de que o novo Bento Rodrigues fique pronto, no mínimo, no segundo semestre de 2019. Com 98 hectares, o terreno, fica a oito quilômetros do subdistrito destruído pela lama. 

A fundação informou que ainda não teve acesso aos documentos e que vai participar do evento de entrega oficial na tarde desta quinta-feira, na Cidade Administrativa.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade