Publicidade

Correio Braziliense

Mais 131 venezuelanos deixam Roraima no processo de interiorização

Os imigrantes serão levados para São Paulo, Cuiabá, Rio e Brasília


postado em 23/07/2018 18:22

Imigrantes venezuelanos são abrigados em instalações provisórias em Boa Vista(foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Imigrantes venezuelanos são abrigados em instalações provisórias em Boa Vista (foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

 
Um grupo de 131 venezuelanos solicitantes de refúgio ou residência no Brasil serão transferidos nesta terça-feira (24/7) de Boa Vista (RR) para abrigos em outras quatro capitais do país. O embarque dos venezuelanos está previsto para esta terça-feira, às 8h (horário local), em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB).

Cinquenta imigrantes serão recebidos pela organização Aldeias Infantis SOS, de Brasília, enquanto 36 serão abrigados na Casa de Acolhida Papa Francisco, no Rio de Janeiro. Mais 24 irão para o Centro Pastoral do Migrante, em Cuiabá, e a Casa do Migrante Missão Paz, em São Paulo, abriu vaga para 21 venezuelanos.

Segundo a Casa Civil, responsável pela coordenação do processo de interiorização dos venezuelanos, todos eles foram vacinados e submetidos a exames de saúde. Eles também já portam documentos como CPF e carteira de trabalho.

Interiorização

A interiorização dos venezuelanos é uma das ações empreendidas para minimizar os impactos do intenso fluxo de migrantes nos municípios da fronteira do Brasil com a Venezuela e melhorar a qualidade de vida dos solicitantes de refúgio.

Desde abril, 690 venezuelanos foram levados para outras cidades, com o apoio da Agência da ONU para Refugiados (Acnur), da Agência da ONU para as Migrações (OIM), do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud).

O governo federal também assumiu com a Acnur, a direção dos abrigos de Roraima que eram administrados pelo governo local. Além disso, abriu cinco novos pontos de acolhimento de pessoas em situação de vulnerabilidade no estado. Cerca de 4.000 imigrantes ainda estão abrigados na capital Boa Vista.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade