Publicidade

Correio Braziliense

Ônibus cai de viaduto e deixa feridos em Contagem

Veículo bateu em poste, atingiu mureta e caiu na Avenida Trajano Araújo Viana, no Bairro Cinco. Advogado da empresa diz que motorista passou mal ao volante


postado em 29/11/2018 17:20 / atualizado em 29/11/2018 17:20

Ônibus do transporte coletivo caiu de um viaduto na Avenida João César de Oliveira, em Contagem, na manhã desta quinta-feira(foto: Jair Amaral/EM/DA Press)
Ônibus do transporte coletivo caiu de um viaduto na Avenida João César de Oliveira, em Contagem, na manhã desta quinta-feira (foto: Jair Amaral/EM/DA Press)

Um ônibus do transporte coletivo caiu de um viaduto em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. O acidente deixou vários feridos e mobilizou equipes do Corpo de Bombeiros, Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e a Polícia Militar (PM). O motorista teria passado mal ao volante.

O viaduto fica na Avenida João César de Oliveira, umas das principais da cidade, próximo ao Hospital Municipal de Contagem, no Bairro Cinco. O veículo é da linha 001C (Parque Renascer/Cidade Industrial).

Segundo a Transcon, responsável pelo trânsito no município, o ônibus seguia pela avenida no sentido Eldorado quando o motorista perdeu o controle da direção, bateu em um poste, quebrou a mureta do viaduto e caiu na Avenida Trajano Araújo Viana, que foi completamente interditada. 

Um advogado da empresa proprietária do ônibus, disse que o motorista passou mal ao volante, o que resultou no acidente. A A Prefeitura de Contagem informou, via Transcon, que o ônibus foi vistoriado em junho deste ano e passaria por uma nova análise em dezembro. 
 
Ver galeria . 8 Fotos Ônibus do transporte coletivo caiu de um viaduto na Avenida João César de Oliveira, em Contagem, na manhã desta quinta-feiraJair Amaral/EM/DA Press
Ônibus do transporte coletivo caiu de um viaduto na Avenida João César de Oliveira, em Contagem, na manhã desta quinta-feira (foto: Jair Amaral/EM/DA Press )
 

O capitão Marcos Viana, do Corpo de Bombeiros, informou que ao todo foram socorridas 19 pessoas, atendidas em três hospitais: o Municipal de Contagem, João XXIII, em BH, e o Hospital Santa Rita. O helicóptero Arcanjo, da corporação, precisou levar uma vítima com suspeita de fratura na pelve, uma lesão mais grave. Quando os bombeiros chegaram ao local, seis pessoas ainda estavam presas no ônibus. 

Para o militar, a proximidade com o Hospital Municipal de Contagem e o 2º Batalhão do Corpo de Bombeiros facilitou o atendimento às vítimas. Parte da equipe foi a pé para o local do acidente. 

A Defesa Civil de Contagem informou que a estrutura acima do viaduto não foi afetada. Assim, o trânsito ainda flui na Avenida João César de Oliveira. Já a parte de baixo ainda passa por vistoria e o trânsito segue interditado. A Cemig também foi acionada para fazer o reparo do poste e da fiação no local do acidente.
 
 

Apesar de os bombeiros terem informado que foram 19 feridos, a Prefeitura de Contagem aponta que o número de vítimas foi maior. O Executivo municipal diz que 16 pessoas deram entrada no Hospital Municipal, quatro na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) JK, uma preferiu ser atendida em um hospital da Unimed e outra no João XXIII. Ou seja, somente na rede pública municipal de Contagem 20 feridos deram entrada.

O Hospital Municipal de Contagem mobilizou 60 profissionais e também foram abertas três enfermarias para receber os feridos. Não há ninguém correndo risco de morte entre os internados no serviço público da cidade. 

Sindicato

Por meio de nota, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros Metropolitano (Sintram) informou que o motorista envolvido no acidente tem 54 anos e trabalha na empresa há 15. Ele foi levado para um hospital antes de prestar depoimento.

“O veículo que se acidentou foi fabricado em 2011 e estava em excelente estado de conservação. Tão logo soube do acidente, a empresa responsável pela linha foi até o local e está prestando todo o apoio necessário às vítimas. O Sintram esclarece que as causas do acidente estão sendo apuradas”, informou a entidade. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade