Publicidade

Correio Braziliense

No Twitter, Bolsonaro critica auxílio-reclusão e promete rever regras

"Decidimos que avançaremos nesta questão jamais colocada em pauta", comentou o presidente no microblog


postado em 04/01/2019 07:43 / atualizado em 04/01/2019 10:05

(foto: Marcos Correa/AFP)
(foto: Marcos Correa/AFP)
  

 

O presidente Jair Bolsonaro criticou a forma atual de pagamento do auxílio-reclusão, concedido a famílias de detentos, e prometeu rever as regras para desinchar a máquina pública e "fazer justiça".

"O auxílio-reclusão ultrapassa o valor do salário mínimo. Em reunião com ministros, decidimos que avançaremos nesta questão jamais colocada em pauta quando se trata de reforma da previdência e indevidos. Em cima de muitos detalhes vamos desinchando a máquina e fazendo justiça!", escreveu Bolsonaro no Twitter na manhã desta sexta-feira (4/1).

Conforme revelou no fim de dezembro o Broadcast, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado, o novo governo vai focar em medidas que não dependem da aprovação do Legislativo antes de apresentar uma proposta de reforma da Previdência. Uma dessas medidas é a implementação de uma carência para que o segurado do INSS receba o auxílio-reclusão. A ideia é estipular uma exigência de 12 contribuições mensais, carência não existente hoje.  

 

  

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade