Publicidade

Correio Braziliense

General Theophilo afirma que Força Nacional chega nesta madrugada no Ceará

Segundo o secretário, parte da tropa já foi enviada à Fortaleza e efetivo estará em condições de operar neste sábado


postado em 04/01/2019 15:52 / atualizado em 04/01/2019 16:03

(foto: Antônio Cruz/Agência Brasil)
(foto: Antônio Cruz/Agência Brasil)

O secretário nacional de Segurança Pública, general Guilherme Theophilo, salientou o atendimento recorde na questão que envolve o envio de tropas da Força Nacional para Fortaleza (CE). Em entrevista coletiva no Ministério da Justiça, o general Theophilo explicou que as equipes de inteligência da Força Nacional estavam monitorando os crimes ocorridos na região metropolitana da capital cearense desde o ano passado. Nesta sexta-feira (4/1), o ministro da Justiça, Sergio Moro, autorizou a Força Nacional atue por 30 dias no Estado para ajudar a conter a onda de violência no Estado.
 
A decisão ocorreu após pedidos feitos pelo governador Camilo Santana (PT). O ministro sugeriu a formação de um gabinete de crise, com a integração de polícias federais e estaduais. A equipe da Força Nacional mobilizada conta com cerca de 300 homens e 30 viaturas. "A Força Nacional está presente em 23 Estados. É um amortecedor entre a Segurança Pública e o emprego das Forças Armadas, o que há de mais precioso, de maneira prematura. Isso seria um princípio de guerra", disse o general. Guilherme Theophilo explicou, ainda, que pretende fazer "de tudo" para padronizar os procedimentos das polícias militares e civis. "Usando o mínimo possível a Força Nacional de Segurança". 

Questionado sobre uma possível demora na decisão de enviar as tropas, o secretário afirmou que a demanda "foi atendida de pronto" e "em tempo recorde". Disse que o ministro Moro ter recebeu a solicitação do governador do Ceará ontem e respondeu com o envio das Forças Armadas apenas um dia depois, afirmando que "o pedido foi atendido com menos de 24 horas" e que "não houve nenhum retardo". Guilherme Theophilo explicou que são necessárias 48 horas para que missões assim sejam planejadas. "Para chegar logo, mandamos 70 homens que estavam lá perto e 30 outros de Aracaju (CE). Vão chegar no fim do dia em Fortaleza. Outros 88 homens serão enviados hoje à tarde e o restante dos 300 desempenhados saem de madrugada", detalhou. A tropa está em condições de operar neste sábado (5/1).

Em outubro, Guilherme Theophilo concorreu pelo PSDB ao governo do Ceará. Como o PT ganhou, parlamentares da oposição começaram a falar que a atitude poderia ser uma maneira de retaliar o governador Camilo Santana. "Isso não tem nada a ver. Minha candidatura foi um pedido do Tasso (Jereissati) no momento que me aposentei (do Exército). Nunca tive vontade de entrar na política. Isso é a imprensa ou gente criando fantasma onde não tem fantasma. Qualquer estado da federação (que precisar) terá ajuda. Essa é nossa missão: ajudar a reforçar a Segurança Pública. E acho que (isso ocorreu) em tempo recorde."

Ataques

Fortaleza e cidades da região metropolitana sofreram com a segunda madrugada de ataques contra prédios públicos, agências bancárias e ônibus. Um suspeito de tentar incendiar um radar de trânsito, na cidade de Eusébio, foi morto em confronto com a polícia. Até o momento 40 criminosos foram detidos em todo o estado suspeitas de participação nos ataques a prédios públicos e privados, agências bancárias e ônibus.

Os ataques de criminosos ocorreram entre a noite de quarta (2/1) e a madrugada de quinta (3/1) na região metropolitana de Fortaleza deixou ônibus e vans queimados e abalou estrutura de um viaduto na rodovia que liga a capital cearense a Brasília. A polícia investiga se há ligação entre as ações e se podem estar ligadas às mudanças anunciadas pelo governo estadual para a administração de presídios no segundo mandato de Camilo Santana (PT).

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social informou que sete adultos foram presos e outros quatro adolescentes apreendidos por suspeita de envolvimento nos incêndios a veículos e danos ao patrimônio público. Uma décima segunda pessoa também foi conduzida para uma delegacia de Polícia Civil, onde foi ouvida e sua participação nos crimes continua sob investigação.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade