Publicidade

Correio Braziliense

103 pessoas são presos por ataques violentos no Ceará

O efetivo da Força Nacional vai atuar por 30 dias no Estado


postado em 06/01/2019 13:50 / atualizado em 06/01/2019 22:15

Blitze com a inserção de mais 70 policiais militares são realizadas em pontos estratégicos de Fortaleza(foto: José Cruz/Agência Brasil)
Blitze com a inserção de mais 70 policiais militares são realizadas em pontos estratégicos de Fortaleza (foto: José Cruz/Agência Brasil)

 

Até a noite deste sábado, 5, 103 pessoas já tinham sido presas por envolvimento nas ações criminosas no Ceará - destas, 53 foram autuadas apenas no sábado. A informação é da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS).

A pasta informa, ainda, que nenhum ônibus foi incendiado na capital ou Região Metropolitana desde o início da noite de sábado. Blitze com a inserção de mais 70 policiais militares são realizadas, até agora, em pontos estratégicos de Fortaleza.

"Nos flagrantes realizados até agora, foram apreendidas armas de fogo, entre elas um fuzil mosquefal, munições, galões de gasolina e coquetéis molotovs", informou a nota enviada pela secretaria. Mais de 90 ataques em 20 municípios cearenses foram contabilizados desde a última quarta-feira, 2.

Quase todas as viaturas enviadas pela Força Nacional de Segurança já estão nas ruas da Grande Fortaleza desde o início da noite de sábado. A FNS enviou cerca de 300 profissionais e 30 veículos na madrugada de sábado para reforçar o patrulhamento. O efetivo vai atuar por 30 dias no Estado, após aprovação do Ministro da Justiça, Sérgio Moro.

De acordo com a Secretaria da Administração Penitenciária do Ceará, cerca de 80 agentes enviados pelos governos de outros oito Estados do Nordeste reforçarão o sistema carcerário no Estado cearense. Alguns profissionais já chegaram, mas o número não foi confirmado pela pasta. Os agentes fazem parte da Força Penitenciária Integrada de Intervenção (FIPI) e já foram enviados em 2016, quando o Ceará passou por crise no sistema prisional.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade