Publicidade

Correio Braziliense

Vídeo com ataques a nordestinos causa revolta nas redes sociais

Nas imagens, um grupo de homens comemora a vitória do presidente Jair Bolsonaro (PSL), que assumiu a presidência em 1º de janeiro


postado em 10/01/2019 08:25

Caso não tem ligação com a fábrica de água sanitária Dragão, conforme veiculado nas redes sociais(foto: Reprodução/Facebook)
Caso não tem ligação com a fábrica de água sanitária Dragão, conforme veiculado nas redes sociais (foto: Reprodução/Facebook)

Um vídeo que circula pelas redes sociais, desde a tarde de terça-feira (8/1), vem causando polêmica devido a comentários xenófobos contra as regiões Norte e Nordeste. Nas imagens (veja abaixo), um grupo de homens comemora a vitória do presidente Jair Bolsonaro (PSL), que assumiu a presidência em 1º de janeiro. "Ele (Bolsonaro) falou que é o seguinte: agora é faca na caveira. A gente não vai mais suportar esse pessoal do Acre, de Roraima, do Norte", afirma um dos rapazes. 
 
Outro homem, que veste a camisa do clube de futebol Atlético Mineiro, completa: "Essa galera do Nordeste tem que parar de gastar o dinheiro que o Sudeste produz". Em seguida o rapaz que começou o vídeo concorda: "Exatamente, a gente tá cansado de produzir e aí vai lá e mula e aí vai lá, não sei o que, não tem água...", delcara. 

A gravação, que dura 30 segundos, foi associada à empresa pernambucana Dragão, fábrica de água sanitaria, que atua também nos estados de Alagoas e Ceará. A descrição do vídeo diz que um dos homens que aparece nas imagens seria filho do dono da marca. 



O gerente comercial da Dragão, Evyo Vieira de Melo, neto do já falecido fundador da empresa, Godofredo de Abreu e Lima, falou com o Diario de Pernambuco sobre o assunto. "Nossa empresa foi fundada há 70 anos pelo nosso avô e lamento profundamente que este vídeo tenha sido atribuído de maneira irresponsável a um membro da nossa família. Não conhecemos este rapaz. Produzimos em vários estados da região e repudiamos estas atitudes". 

Nas redes sociais, a Dragão esclareceu que não tem ligação com as pessoas do vídeo e repudiou as delcarações xenófobas.

Confira a nota na íntegra
 
Vimos esclarecer ao público, bem como aos nossos consumidores o nosso repúdio ao conteúdo veiculado no vídeo e nas mensagens que circulam nas redes sociais envolvendo o nome da marca DRAGÃO, caracterizando portanto #FAKENEWS.

Ressaltamos, contudo, que a DRAGÃO é uma empresa genuinamente NORDESTINA com muito orgulho, tendo fábricas nos estados de PERNAMBUCO, ALAGOAS E CEARÁ atuando há mais de 70 anos no mercado do Norte/Nordeste.

Lembramos ainda que o compartilhamento de #FAKENEWS é crime, previsto em lei.” 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade