Publicidade

Correio Braziliense

'Como vou dizer que a gente aprendeu?', diz presidente da Vale

Fábio Schvartsman pediu desculpas às vítimas e prometeu uma investigação 'rápida e profunda'


postado em 25/01/2019 18:56 / atualizado em 25/01/2019 19:18

(foto: Divulgação/Vale )
(foto: Divulgação/Vale )
 
O presidente da Vale, Fábio Schvartsman, afirmou na tarde desta sexta-feira que não é possível dizer que a companhia aprendeu com o desastre de Mariana, pois a situação voltou a ocorrer. Fábio foi questionado ao comentar o rompimento da barragem Mina Córrego Feijão, ocorrido na tarde desta sexta-feira (25/1) em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Informações iniciais do Corpo de Bombeiros é de que cerca de 200 pessoas estão desaparecidas.

“Como vou dizer que a gente aprendeu se acaba de acontecer um acidente desses? O que posso dizer foi o que a gente fez depois do acidente. Viramos todas as barragens do avesso e contratamos as melhores auditorias do mundo para verificar o estado de todas elas. Fizemos tudo que a gente entende que era possível para garantir a segurança e a estabilidade”, afirmou em entrevista à Globo News.

Ainda de acordo com ele, sobre o rompimento desta tarde ainda é necessário saber o que ocorreu e prometeu investigação “rápida e profunda”. “Vamos resgatar e atender às pessoas e fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para enfrentar essa situação inimaginável. Ainda não sabemos o número de vítimas. A região é de acesso muito difícil e uma região muito afastada. Tinham muitos funcionários da Vale no momento. Infelizmente, deve ter muitas vítimas”, afirmou ao canal. 

Durante sua fala com a imprensa, o presidente da Vale ainda afirmou que a barragem tinha todos os certificados de estabilidade e estava com os licenciamentos ambientais em dia. “Era uma barragem de minério de ferro da antiga Fertep. É uma barragem que estava não ativa desde 2015. Estava em processo de descomissionamento, mas era uma barragem estável com laudo externo que garantia estabilidade dela abuslolutamente normal. Não sabemos o que aconteceu”, disse.

O presidente da Vale, Fábio Schvartsman, pediu desculpas pelo sofrimento causado e que sente pelo sofrimento causado às vítimas. “Desde já quero pedir as nossas sinceras desculpas pelo sofrimento que está sendo causado, não importa a causa. Isso é inaceitável. Vamos fazer uma investigação rápida e profunda para descobrir o que aconteceu. E vamos tomar as providências que forem necessárias”, declarou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade