Publicidade

Correio Braziliense

Agência de Mineração diz que Vale fez vistoria em dezembro e não achou problemas

A ANM, que é responsável por fiscalizar barragens de rejeito mineral, afirmou ainda que três relatórios técnicos da Vale que garantiam a estabilidade da estrutura da barragem de Brumadinho (MG) foram apresentados ao longo do ano passado


postado em 25/01/2019 20:35 / atualizado em 25/01/2019 20:56

(foto: Wanderlei Pozzembom/CB/D.A Press)
(foto: Wanderlei Pozzembom/CB/D.A Press)

A Agência Nacional de Mineração (ANM) declarou que a mineradora Vale vistoriou, em dezembro, estrutura da barragem de Brumadinho (MG), que rompeu nesta sexta-feira (25/1) sem ter apontado qualquer tipo de falha de segurança. As informações, segundo a agência, foram declaradas pela própria Vale, por meio do Sistema Integrado de Gestão de Segurança de Barragens de Mineração (SIGBM), que é administrado pela ANM. "Baseada em vistoria realizada em dezembro último, por um grupo de técnicos da empresa, estes não encontraram indícios de problemas relacionados à segurança desta estrutura", disse a agência em nota.


A ANM, que é responsável por fiscalizar barragens de rejeito mineral, afirmou ainda que três relatórios técnicos da Vale que garantiam a estabilidade da estrutura da barragem de Brumadinho (MG) foram apresentados ao longo do ano passado.

"A concessionária apresentou em março de 2018 a primeira Declaração de Condição de Estabilidade dessa barragem. Realizou sua revisão periódica de segurança em junho de 2018, tendo apresentado a respectiva Declaração de Condição de Estabilidade, como também, apresentou em setembro de 2018, a terceira Declaração de Condição de Estabilidade, expedida por auditoria independente".

A barragem de Brumadinho que se rompeu é uma estrutura para contenção de rejeitos de minério de ferro. Está classificada como de porte médio e, segundo a agência, não apresentava pendências documentais. Sobre sua segurança operacional, está classificada na categoria de "risco baixo", mas de "dano potencial associado alto", devido a perdas de vidas humanas e dos impactos econômicos sociais e ambientais que seu rompimento pode causar.

A agência declarou que encaminhou equipe técnica sediada em Belo Horizonte para o local, além de técnicos de Brasília (DF). O diretor-geral da ANM, Victor Hugo Froner Bicca, e o diretor da agência Tasso Mendonça também vão para o local na manhã deste sábado (26/1) para participar das diligências.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade