Publicidade

Correio Braziliense

'Muito provavelmente iremos resgatar somente corpos', diz governador de MG

Segundo informações do gabinete de crise, cerca de 150 pessoas ainda estão desaparecidas na área atingida pelo rompimento da barragem do Córrego do Feijão


postado em 25/01/2019 22:36

(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
 
Em entrevista coletiva concedida à imprensa, o governador Romeu Zema (Novo) disse que "as chances são mínimas" de resgatar sobreviventes da tragédia da barragem do Córrego do Feijão, em Brumadinho, Região Metropolitana de Belo Horizonte. Segundo números do Corpo de Bombeiros, cerca de 150 pessoas ainda estão desaparecidas no local. "Muito provavelmente iremos resgatar somente corpos". 

"Temos recebido várias propostas de ajuda de outros estados e do governo federal. Mas nossa força-tarefa tem sido suficiente", disse o mandatário. Nesse momento, segundo Zema, a prioridade é evitar novos rompimentos no local, já que as autoridades trabalham com a possibilidade de mais uma fissura, desta vez uma barragem de água. Contudo, a mineradora Vale, conforme o comitê de crise, monitora o equipamento e descarta um novo incidente.
 
Ver galeria . 83 Fotos Corpo de Bombeiros/Divulgação
(foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação )
 
 
Ainda de acordo com Romeu Zema, o vazamento desta sexta tem proporção menor que o de Mariana. Segundo ele, o número de vítimas é maior, mas, territorialmente, a área atingida é menor.
 
Em caso de um novo rompimento, a Vale informou ao Executivo que a mesma área atingida mais cedo seria arrebatada. De acordo com números do governo estadual, até aqui são sete mortos confirmados e outras nove pessoas socorridas na tragédia desta tarde.
 
 

De acordo com o Corpo de Bombeiros, por meio do coronel Edgar Estevão, os trabalhos vão continuar durante toda a madrugada e no fim de semana. Na segunda-feira, caso seja preciso, as autoridades vão deslocar cães farejadores para buscar os corpos. No momento, são cerca de 100 bombeiros no local e o grupo será dobrado durante a madrugada. 
 
A Polícia Militar também está no local para prestar apoio e garantir a segurança dos bombeiros. O trabalho de jipeiros e voluntários, por enquanto, é proibido no local.
 
(foto: Arte/EM/D.A Press)
(foto: Arte/EM/D.A Press)
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade