Publicidade

Correio Braziliense

Sobe para nove o número de mortes na tragédia de Brumadinho

Balanço divulgado durante a madrugada deste sábado informou que cerca de 100 militares do CBMMG trabalham no local, sendo 87 na zona quente e o restante na inteligência


postado em 26/01/2019 08:03 / atualizado em 26/01/2019 10:30

Tragédia em Brumadinho deixou pelo menos 9 mortos(foto: Douglas Magno / AFP)
Tragédia em Brumadinho deixou pelo menos 9 mortos (foto: Douglas Magno / AFP)

 

O Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais, por meio da sua assessoria de comunicação, divulgou novos números da tragédia de Brumadinho na madrugada deste sábado. De acordo com a corporação, o número de desaparecidos pode chegar até 355 pessoas. Nessa sexta, o comitê de crise do governo estadual trabalhava com um número potencial de 150 cidadãos sumidos - a metade informada pelos bombeiros. A corporação informou, ainda, mais dois óbitos no local. Com isso, já são pelo menos nove pessoas que perderam a vida na tragédia. 

 

Segundo o tenente Pedro Aihara, porta-voz dos bombeiros que acompanhou os trabalhos, os desaparecidos estão distribuídos da seguinte maneira: entre 100 e 150 pessoas estavam na área administrativa da Vale; cerca de 30 na Vila Fértico, pequeno vilarejo próximo; aproximadamente 35 hóspedes e funcionários da Pousada Nova Estância; e entre 100 e 140 atingidos na região do Parque das Cachoeiras. Outras 189 já foram resgatadas durante as tarefas. 

 

 

Ver galeria . 43 Fotos Corpo de Bombeiros/Divulgação
(foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação )

 

Ainda segundo a corporação, aproximadamente 100 militares trabalham no local. A maior parte deles, cerca 87, se voltam aos trabalhos na zona quente nas atividades de busca e salvamento. O restante dos oficiais se dedicam à inteligência.


Número de desaparecidos  

 

No sábado as estimativas aumentaram: 300 pessoas podem estar desaparecidas e 189 já foram resgatadas. Nesta manhã, a Vale divulgou em seu site uma lista com os nomes de funcionários com os quais não se conseguiu contato até o momento. São 413 trabalhadores, dos quais 90 são terceirizados, de acordo com as informações divulgadas às 9h. A lista está sendo atualizada em tempo real, conforme as pessoas são localizadas. Na sexta-feira (25/1) a justiça decretou o bloqueio de R$ 1 bilhão da empresa. 

 

A empresa disponibilizou também atendimento telefônico à população, assim como ações de uma equipe de assistenes sociais e psicólogos para atendimento dos atingidos e de seus familiares. Os números para contato são: 0800 285 7000 (Alô Ferrovia - prioritário) e 0800 821 5000 (Ouvidoria da Vale). 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade