Publicidade

Correio Braziliense

Governo promete vistoriar todas as barragens do país: 'É urgente'

Heleno afirmou ainda que existe, por parte do governo de Minas Gerais, "a atuação eficiente para diminuir os resultados de tragédia"


postado em 26/01/2019 20:48 / atualizado em 26/01/2019 20:58

(foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
(foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
 
 
Após duas horas de reunião no recém-criado Conselho Ministerial de Supervisão de Respostas a Desastre, o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, afirmou neste sábado (26/1) que o governo federal vai vistoriar todas as barragens do país para "evitar que novas tragédias aconteçam". Ele classificou a medida como "importante e urgente" e que o objetivo é "antecipar, à medida do possível novos acidentes".
 
"Não haverá superposição de esforços. Cada ministério assumirá seu papel, analisando sua responsabilidade nas ações de governo", explicou o ministro. Para Heleno, o auxílio direto à comunidade afetada é muito importante, mas o número de desabrigados é pequeno: "A preocupação maior é a busca das vítimas". 

Heleno afirmou que existe, por parte do governo de Minas Gerais, "a atuação eficiente para diminuir os resultados de tragédia". Portanto, não será enviada ajuda humanitária. "Temos recordação da situação anterior, lá de Mariana (MG). A prefeitura e o governo de Minas têm condições de atender às necessidades".

Hoje, a procuradora-geral, Raquel Dodge, fez declarações sobre a urgência da questão envolvendo a tragédia em Brumadinho. "Os órgãos ligados ao Ministério Público vão trabalhar para que as providências sejam tomadas no mais curto prazo", afirmou o ministro do GSI, que complementou: "encontrar o culpado é responsabilidade do MP".

Ainda segundo o general Heleno, o país ganhará reforços de um avião israelense com equipes e equipamentos para ajudar nas buscas. De acordo com a Embaixada de Israel, cerca de 120 homens, cachorros treinados para situações de crise e equipamentos para escanear corpos a até quatro metros de profundidade estão sendo enviados ao Brasil.

"O responsável é a Vale"


O ministro André Mendonça, da Advocacia-Geral de União (AGU), afirmou que "o responsável (pela tragédia) é a Vale. Se existe algum responsável é a vale do Rio Doce", detalhou. 

As famílias atingidas e a própria cidade deverão receber ajuda financeira do governo. O montante ainda não ficou definido, já que o ministro da Economia, Paulo Guedes, não esteve na reunião.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade