Publicidade

Correio Braziliense

Imagens de satélites facilitam buscas do Corpo de Bombeiros em Brumadinho

Uma cooperação internacional entre a Secretaria Nacional de Defesa Civil e 17 países promete facilitar a busca do Corpo de Bombeiros


postado em 27/01/2019 18:43

(foto: Divulgação/Defesa Civil)
(foto: Divulgação/Defesa Civil)

Registros obtidos com equipamentos de 17 países mostra, a partir de pontos pretos, onde estavam os imóveis devastados pela lama. Uma cooperação internacional entre a Secretaria Nacional de Defesa Civil e 17 países, entre eles Estados Unidos, Canadá e Inglaterra, promete facilitar a busca do Corpo de Bombeiros pelos desaparecidos da tragédia de Brumadinho. Satélites captam, diariamente, imagens da área atingida e as compara com os registros feitos antes do rompimento da mina do Feijão. Dessa maneira, é possível constatar onde estavam os imóveis engolidos pelo tsunami de rejeitos e priorizar os espaços que os circundam para encontrar corpos e possíveis sobreviventes.

"Esse produto decorre de uma cooperação internacional que envolve 17 países e 34 satélites. Por meio de programas de computador, a gente faz essa imagem, que mostra como o mapa era antes e como é hoje, tudo georreferenciado", explicou o secretário nacional de Defesa Civil, coronel Alexandre Lucas. Pelo mapa, as autoridades podem visualizar a mancha da lama de rejeitos, linhas férreas, o curso do Rio Paraopeba, casas, comércios, vegetação etc. 

Segundo o secretário, as imagens também ajudam a constatar a propagação exata dos rejeitos. Além disso, o fato de ser possível visualizar as fazendas da região, o resgate de animais pode ser ampliado. 

O termo de cooperação entre o governo federal e os outros países já existia antes da barragem do Córrego do Feijão vazar. A parceria foi requisitada, por exemplo, na tragédia de Mariana, em 2015.

Ver galeria . 83 Fotos Corpo de Bombeiros/Divulgação
(foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação )

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade