Publicidade

Correio Braziliense

Lama em pousada de Brumadinho pode ter atingido turista grávida

Grávida de quatro meses e estudando na Austrália, Fernanda Damian de Almeida estava no seu primeiro dia de férias no Brasil


postado em 28/01/2019 10:27 / atualizado em 28/01/2019 10:27

 

Eram 11h05, quando a administradora de empresas Fernanda Damian de Almeida, de 30 anos, mandou sua última mensagem no Whatsapp, avisando que havia chegado bem a Belo Horizonte na sexta-feira (25/1). Grávida de quatro meses e estudando na Austrália, estava no seu primeiro dia de férias no Brasil.

O plano era se reunir com o noivo e a família dele, então hospedados na Pousada Nova Estância, em uma área de mata em Brumadinho. "Depois disso, ela não retornou mais. Nem ela nem ninguém", conta a amiga Vanessa Stagine, de 35 anos.

O que todos sabem: após a barragem da Vale romper, a pousada foi destroçada pela lama. "A família do noivo já estava lá, mas a gente não sabe se ela chegou ou não", diz a amiga.

Com a tragédia, funcionários e hóspedes da Nova Estância engordaram a lista de desaparecidos. Embora nenhum deles conste entre as vítimas identificadas pela Polícia Civil, a rede Number One chegou a divulgar nota informando a morte do proprietário da pousada, Márcio Paulo Mascarenhas, fundador da escola de inglês, além da mulher dele e de um filho.

Já sobre Fernanda, não há notícias. "A gente está na internet, procurando em grupos com mais de 300 pessoas, ninguém sabe de nada", conta Vanessa, que mora em Curitiba, a cidade natal da amiga desaparecida.

Também não foram encontrados o noivo Luis Taliberti Ribeiro Silva, de 33 anos, o sogro Adriano Ribeiro da Silva, de 60, a sogra Maria Lourdes Ribeiro, de 58, e a cunhada. A família atua no setor imobiliário no interior de São Paulo.

Fernanda espera um menino. "É a primeira gravidez. Ela estava muito contente com tudo", conta Vanessa. "O pior é não conseguir informação. Já estamos perdendo a esperança." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

 

Funcionários 

 

Cristina, Crioula, Jussara, Laís, Robinho, Camila, Heitor, Pâmela, Reinaldo. Esses nomes estão no centro de comentários e preocupações dos moradores de Córrego do Feijão, localidade mais atingida pelo rompimento da barragem da Vale em Brumadinho. Todos trabalhavam na Pousada Fazenda Nova Estância e estão desaparecidos desde que a enxurrada de lama a varreu do local. Nesse domingo (27/1), o ambiente era de consternação com o desaparecimento dos amigos, muito conhecidos e queridos no lugarejo. Em relação aos hóspedes, não havia nenhuma informação - nem mesmo nomes.

 

"Não era horário em que a pousada estivesse cheia", informou Núbia Maia, que já trabalhou na pousada. Ela explicou que a hora em que chegou a enxurrada de lama era a mesma em que a maioria dos hóspedes está fora, em passeios, ou fazendo seu check-in ou check-out. Assim , é possível que muita gente não estivesse lá quando ocorreu a tragédia.

 

Não há mais nada no lugar da pousada, a não ser lama e restos de árvores destruídas. Por causa do lamaçal, só foi possível chegar a cerca de mil metros do ponto onde ficava a sede da Nova Estância. O cenário de destruição contrasta com imagens do local anteriores à tragédia, disponíveis na internet. São fotos da piscina, do lago, das suítes, do restaurante, de lojas. O site da fazenda informa que havia 15 quartos, com ar condicionado. Também oferecia aos hóspedes assistência para excursões e ingressos. Era comum que hóspedes a usassem como base para visitar o museu de Inhotim.

 

Nas imediações, a aparência é de cidade-fantasma. Mesmo casas que não foram atingidas pela lama estão vazias. Animais - cães, cavalos, galinhas - estão soltos. Funcionários da Cemig trabalhavam para restabelecer uma linha de transmissão de energia derrubada pela torrente de rejeitos.

 

Ver galeria . 83 Fotos Corpo de Bombeiros/Divulgação
(foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação )
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade