Publicidade

Correio Braziliense

Alpinistas brasileiros desaparecidos na Patagônia estão mortos

Prefeitura de Conceição do Mato Dentro divulgou nota de pesar. Escalador conhecido como Mr. Bean era muito importante pelos trabalhos na Cachoeira do Tabuleiro


postado em 28/01/2019 11:09

Capixaba Fabrício Amaral e mineiro Leandro Iannotta tinham experiência para encarar o monte(foto: Reprodução/Facebook )
Capixaba Fabrício Amaral e mineiro Leandro Iannotta tinham experiência para encarar o monte (foto: Reprodução/Facebook )

As buscas pelo escalador mineiro Leandro Ianotta, conhecido como ‘Mr. Bean’, e do amigo dele, alpinista capixaba Fabrício Amaral, foram encerradas na última sexta-feira. A notícia foi divulgada pela Prefeitura de Conceição do Mato Dentro, em nota de pesar.
 
De acordo com a nota, os corpos foram encontrados sem vida no monte La Silla, que antecede a subida do pico Fitz Roy, na Argentina. A dupla estava desaparecida desde o último dia 18, quando deveria retornar de uma escalada no Parque Nacional Los Glaciares, na Patagônia argentina. 
 
Leandro e Fabrício tinham planejado usar uma rota conhecida como via Franco Argentina para escalar a montanha. A hipótese é que tenham sido pegos por uma tempestade. Em nota, a Secretaria Municipal de Turismo de Conceição do Mato Dentro tenta consolar familiares e parentes. “Mr. Bean deixa uma saudade imensa e um legado de desbravamento que não será esquecido pelos amantes da Cachoeira do Tabuleiro, em Conceição do Mato Dentro. E ele era um dos maiores apaixonados pela queda d’água, estampada em suas fotos nas redes sociais”.
 
Em seu perfil na rede social Instagram, Ianotta chegou a relatar que a primeira investida no local havia sido “incrível”, mas que, em razão do vento forte, eles tinham optado por descer e esperar uma “janela” para continuar a caminhada.

A mulher de Leandro Iannotta, Renata Cançado, deixou uma mensagem emocionante em tom de despedida no Facebook. “Amor, meu grande amor. Minha alma gêmea. Quanta admiração eu tenho por você. Sou grata por ter tido o prazer de conviver com você nesses 15 anos. Você me inspira. Te amo para sempre. Sentiremos muito a sua falta. Amor de outras vidas”, declarou.
 

Escalada difícil

 
Ouvidos pelo Estado de Minas, os especialistas Edemilson Padilha e Luciano Fernandes classificaram a escalada do Fitz Roy como uma das mais complicadas no esporte. “O principal problema da Patagônia é o clima, pois as condições são sempre hostis. Além disso, a escalada é vertical em rocha, por isso você precisa ir sempre amarrado a um colega, para que um segure o outro em caso de queda”, explicou Padilha, que já encarou o desafio diversas vezes e até participou de resgates no local.

Para Fernandes, o teste “separa os homens dos meninos” na modalidade. “É como fazer um 'doutorado' no montanhismo. Escalar no Brasil você faz o 'curso superior'”, compara. O jornalista conhecia o mineiro Leandro Iannotta há 10 anos, quando veio escalar na Serra do Cipó. Segundo ele, Iannotta era fascinado pelo esporte e largou o ramo de origem para se dedicar a uma empresa especializada em guiar escaladores em Minas.

“No final do ano passado, convidei o Leandro para ir a um evento de filmes de escalada que promovemos em Lagoa Santa. Ele ficou muito lisonjeado com meu convite e me disse para escalarmos juntos em Minas. Ele é uma pessoa bastante querida e respeitada no ramo”, disse.

O mineiro era conhecido como Mr. Bean entre os colegas, justamente por sua semelhança com o humorista britânico protagonizado pelo ator Rowan Atkinson. (Com informações de Gabriel Ronan e Agência Brasil)
 
Prefeitura divulgou nota de pesar (foto: Prefeitura de Conceição do Mato Dentro/Reprodução)
Prefeitura divulgou nota de pesar (foto: Prefeitura de Conceição do Mato Dentro/Reprodução)
 

*Estagiária sob supervisão do subeditor Benny Cohen

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade