Publicidade

Correio Braziliense

Imagens de satélites mostram o antes e o depois de Brumadinho

A barragem da mina Córrego do Feijão, da mineradora Vale, localizada em Brumadinho, se rompeu na tarde de sexta-feira (25/1)


postado em 28/01/2019 14:03 / atualizado em 28/01/2019 14:07

Imagens de satélites mostram o antes e o depois da tragédia em Brumadinha(foto: Pléiades © CNES 2019, Distribution Airbus DS/Divulgação)
Imagens de satélites mostram o antes e o depois da tragédia em Brumadinha (foto: Pléiades © CNES 2019, Distribution Airbus DS/Divulgação)

 Imagens feitas por satélite mostram a dimensão do estrago causado pelo rompimento da barragem de rejeitos da Vale, em Brumadinho (MG). Depois do desastre ocorrido, a empresa brasileira Airbus ativou os satélites Pléiades com resolução espacial de 50cm para monitorar a região afetada via missão One Now, dedicada a contextos emergenciais.

A barragem da mina Córrego do Feijão, da mineradora Vale, se rompeu na tarde de sexta-feira (25/1). A onda de rejeitos de minério de ferro atingiu a área administrativa da empresa e a comunidade da Vila Ferteco.
 
Ver galeria . 83 Fotos Corpo de Bombeiros/Divulgação
(foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação )


O rompimento ocorreu na Barragem 1, que foi construída em 1976 e tinha volume de 12,7 milhões de m³. De acordo com a Vale, a barragem tinha encerrado as atividades há cerca de três anos, pois o beneficiamento do minério na unidade é feito a seco.
 
 

Segundo o levantamento, o número de mortos subiu para 60, dos quais 19 foram identificados até agora. O balanço informa ainda que há 292 pessoas desaparecidas e 382 pessoas foram localizadas. Até o momento, 192 pessoas foram resgatadas. Os dados são da Defesa Civil, do Corpo de Bombeiros e das polícias Militar e Civil.
 
Ver galeria . 71 Fotos EM/D.A Press
(foto: EM/D.A Press )
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade