Publicidade

Correio Braziliense

Planalto: estudos estão sendo aprofundados a respeito da direção da Vale

"Estudos estão sendo aprofundados para que uma decisão seja tomada adequadamente e naturalmente, dentro dos ditames legais que regem nosso dia a dia", afirmou o porta-voz da Presidência da República


postado em 28/01/2019 18:55 / atualizado em 28/01/2019 19:05

(foto: Valter Campanato/Agência Brasil)
(foto: Valter Campanato/Agência Brasil)

O porta-voz da Presidência da República, general Rego Barros, afirmou nesta segunda-feira (28/1) que o governo ainda não tomou uma decisão a respeito da direção da Vale, dias depois do rompimento de uma barragem da mineradora em Brumadinho, Minas Gerais, que resultou, por enquanto, na morte de 60 pessoas e no desaparecimento de outras 292, além de impactos ambientais.

"Estudos estão sendo aprofundados para que uma decisão seja tomada adequadamente e naturalmente, dentro dos ditames legais que regem nosso dia a dia", afirmou o porta-voz, em coletiva de imprensa concedida no Hospital Israelita Albert Einstein, onde o presidente Jair Bolsonaro foi submetido nesta segunda-feira a uma cirurgia para retirar a bolsa de colostomia.

Além disso, afirmou Rego Barros, o governo também não definiu ainda o que fará a respeito dos licenciamentos de barragens. Ele confirmou a multa de R$ 250 milhões que será aplicada pelo Ibama à Vale.

O porta-voz disse que o governo federal está pronto para auxiliar o governo de Minas Gerais no que for preciso, assim que os pedidos forem feitos. O Exército, por exemplo, tem mil homens à disposição, que ainda não foram convocados porque ainda não foi feita nenhuma requisição por parte do governo de Minas Gerais.

Ele disse que o governo federal, por enquanto, tem colaborado com o envio profissionais de saúde e de vigilância sanitária, o monitoramento da interrupção do abastecimento de água para parte da região metropolitana de Belo Horizonte, envio de profissionais para ajudar pessoas desalojadas e famílias afetadas, acompanhamento dos profissionais israelenses que foram enviados para ajudar no restante, e na antecipação do pagamento do benefício do Bolsa Família para famílias afetadas.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade