Publicidade

Correio Braziliense

Sem prazo, governo diz que vai fiscalizar 3 mil barragens de alto risco

O ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, não soube dizer quantas delas seriam da Vale


postado em 29/01/2019 13:30 / atualizado em 29/01/2019 17:26

(foto: Douglas Magno/AFP)
(foto: Douglas Magno/AFP)

 
O governo federal vai priorizar a fiscalização de 3.386 barragens que estão classificadas com dano potencial associado alto ou risco alto em todo o país. Dessas, 205 são de rejeitos minerais. O ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, entretanto, não soube estimar quanto tempo demoraria para serem vistoriadas, mas que a ordem é que seja feito “o mais rápido possível”, mas é um trabalho que precisa ser feito “com cautela”. 

“Enviaremos todos os esforços para garantir que haja recursos humanos e financeiros para cumprir essa meta. Repito: é uma meta corajosa. Não estamos falando de 10 barragens, são 3.386, não é da noite para o dia que a gente vai conseguir fiscalizar todas”, disse Canuto. Ele explicou ainda que, das 205, 70 fazem o modelo a montante, e devem ser as primeiras a serem fiscalizadas. A técnica “a montante” era a utilizada tanto no reservatório de Brumadinho, como na barragem de Fundão da Samarco, em Mariana, que rompeu em 2015. Ela permite que o dique inicial seja ampliado para cima quando a barragem fica cheia.
 
Ver galeria . 83 Fotos Corpo de Bombeiros/Divulgação
(foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação )
 

Apesar de estabelecer prioridades, o ministro, contudo, não soube dizer quantas delas seriam da Vale. Mas ressaltou que, para os órgãos fiscalizadores, a medida de fiscalização era uma determinação. Para os estaduais, uma recomendação. “A estrutura atual das agências fiscalizadoras é insuficiente, mas o governo federal como um todo tem os recursos humanos e financeiros para fazê-los. Caso as agências federais não detenham pessoal necessário, o governo vai remanejar as pessoas, solicitar engenheiros de outros órgãos, mas cuidar da especialidade que cada um tem”, ressaltou. 

Canuto participou de uma coletiva de imprensa no início da tarde desta terça-feira (29/1), junto com os ministros Onyx Lorenzoni (Casa Civil), Ricardo Salles (Meio Ambiente) e Almirante Bento Albuquerque (Minas e Energia). Eles estavam reunidos, durante a manhã, com o presidente em exercício, Hamilton Mourão, no Palácio do Planalto, para mais uma reunião ministerial do novo govenro. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade