Publicidade

Correio Braziliense

Brumadinho: rejeitos avançam e afetam cidades banhadas pelo Rio Paraopeba

O avanço da lama fez com que a cidade de Pará de Minas desativasse o sistema de abastecimento que vinha do Rio Paraopeba


postado em 01/02/2019 06:00

(foto: Edesio Ferreira/Estado de Minas )
(foto: Edesio Ferreira/Estado de Minas )

 

O monitoramento do Ministério de Minas e Energia informou ontem que os rejeitos da barragem da mina do Córrego do Feijão, da Vale, chegaram ao município de São José da Varginha, a 98 quilômetros de Brumadinho. A informação foi divulgada pela Secretaria de Comunicação do governo federal. O avanço da lama fez com que a cidade de Pará de Minas desativasse o sistema de abastecimento que vinha do Rio Paraopeba.

O diretor de Finanças da Vale, Luciano Siani, afirmou que a membrana de contenção instalada no rio na altura da cidade seria concluída ainda ontem, na tentativa de impedir que os rejeitos atrapalhassem a captação de água na cidade. No entanto, na noite de quarta-feira, a Secretaria de Estado do Meio Ambiente já havia informado que suas equipes detectaram alterações na qualidade da água, e a classificaram como imprópria para consumo.

A Prefeitura de São Joaquim de Bicas, na Grande BH, desenvolveu ações provisórias para que o fornecimento de água não fosse interrompido. “Foram feitos vários abastecimentos por meio de caminhão-pipa. Usamos também vários reservatórios provisórios até que a situação se normalize”, afirmou o auxiliar da Secretaria de Obras, Pedro Henrique Resende Silva. O planejamento inicial da prefeitura é de que as medidas em caráter emergencial possam atender bem os mais de 25 mil habitantes.

As prefeituras de Esmeraldas, Ibirité e Moeda, também localizadas na Região Metropolitana da capital, optaram por não fazer alertas à população e vêm se amparando nos comunicados emitidos pela Copasa. As autoridades locais, no entanto, orientaram as comunidades sobre o risco grande de contaminação com o consumo impróprio de água do Paraopeba.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade