Publicidade

Correio Braziliense

Em Brumadinho, buscas se concentram no Rio Paraopeba por causa da chuva

Equipes se concentram em um local que fica a 8 quilômetros do rompimento da barragem, onde a mancha de lama se junta ao Rio Paraopeba


postado em 04/02/2019 12:55 / atualizado em 04/02/2019 12:59

(foto: Ramon Lisboa/EM/D.A Press - 02/02/2019)
(foto: Ramon Lisboa/EM/D.A Press - 02/02/2019)

As buscas por vítimas do rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, na Grande BH, se concentram no leito do Rio Paraopeba, desde a manhã desta segunda-feira (4/2). Lá, nesse domingo (3/2), foram encontrados dois corpos por fiscais do Ibama, que avisaram os bombeiros para que fosse feito o resgate.  
 
De acordo com o porta-voz do Corpo de Bombeiros, tenente Pedro Aihara, a chuva começou intensa por volta das 5h30. Às 7h, quando a situação foi amenizada, os bombeiros recomeçaram as buscas. As equipes precisaram sair da chamada zona quente por causa da precipitação, que trazia mais riscos e dificuldades de deslocamento aos homens. 
 
Equipes se concentram em um local que fica a 8 quilômetros do rompimento, onde a mancha de lama se junta ao Rio Paraopeba. Cerca de 450 pessoas trabalham na operação.
 

Se a chuva atrapalha as buscas de um modo geral, ela facilita a ação na área do rio, já que os corpos tendem a se deslocar para o leito e boiar. A expectativa dos bombeiros é de que a chuva acabe em cerca de duas horas. Se este cenário se confirmar, eles retomam as buscas na área quente ainda hoje.

Barragem 6


Pedro Aihara voltou a garantir que não há risco de rompimento da barragem 6, que está sendo monitorada neste momento. Segundo ele, a estrutura da B6, que armazena água, foi rebaixada em 2,14 metros. "Mesmo com toda a precipitação esperada não ultrapassa esse nível , ela continua estável", explicou. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade