Publicidade

Correio Braziliense

Vale se compromete a pagar salário de janeiro a funcionários em Brumadinho

Mineradora ainda não esclareceu como será feito o pagamento das pessoas que continuam desaparecidas desde 25 de janeiro


postado em 06/02/2019 12:12

Área da Vale invadida pela lama da barragem que se rompeu em 25 de janeiro: ainda há funcionários da mineradora entre os desaparecidos(foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press )
Área da Vale invadida pela lama da barragem que se rompeu em 25 de janeiro: ainda há funcionários da mineradora entre os desaparecidos (foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press )

Hoje, quinto dia útil do mês, a mineradora Vale se comprometeu a pagar o salário referente ao mês de janeiro de todos os funcionários que trabalhavam na Mina Córrego do Feijão, onde houve o rompimento da barragem, em Brumadinho, na Grande BH. A empresa, dona do empreendimento, não esclareceu, contudo, como será feito o pagamento das pessoas que continuam desaparecidas desde 25 de janeiro.
 
O jornal Estado de Minas apurou com familiares das vítimas que a mineradora ofereceu a possibilidade de o vencimento ser depositado na conta do cônjuge ou parente próximo. “Minha irmã tem um filho pequeno e a família depende do salário dela”, disse o irmão de uma das desaparecidas, que preferiu não se identificar.

Oficialmente, a empresa não respondeu como será feito esse depósito nem por quanto tempo será pago o salário dos desaparecidos. Segundo o último balanço da equipe de buscas, 134 pessoas morreram e 199 ainda não foram encontradas, sendo 64 delas funcionários da empresa.

Outros 223 empregados da mineradora foram resgatados com vida. Por meio de sua assessoria de imprensa, a Vale informou que “está mantendo o pagamento de todos os empregados que atuavam na região e que sua expectativa é realocar todos os seus colaboradores lotados nas operações que forem paralisadas”.

A empresa também se comprometeu a depositar R$ 100 mil para representantes de empregados da Vale, de trabalhadores terceirizados e de pessoas da comunidade falecidas ou desaparecidas. Até segunda-feira, 248 representantes foram cadastrados. Menos da metade (107) recebeu a doação. O atendimento ocorre das 9h às 18h, em dias úteis, na Estação Conhecimento de Brumadinho. A Vale ainda não estipulou prazo para encerramento dos registros.
 
Ver galeria . 8 Fotos Marli Silva procurava pelo cunhado Anjo Gabriel da Silva Lemos e disse que a família não recebeu nenhuma assistência Gabriel Ronan/EM/DA Press
Marli Silva procurava pelo cunhado Anjo Gabriel da Silva Lemos e disse que a família não recebeu nenhuma assistência (foto: Gabriel Ronan/EM/DA Press )
 
 
 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade