Publicidade

Correio Braziliense

Prefeito de Vitória diz que interditou unidade da Vale por jogar rejeitos no mar

Em vídeo divulgado no Facebook, Rezende afirma que a prefeitura aplicou multa de R$ 35 milhões à mineradora


postado em 08/02/2019 10:21 / atualizado em 08/02/2019 10:41

(foto: Tulio Santos/Estado de Minas)
(foto: Tulio Santos/Estado de Minas)
 

O prefeito de Vitória, Luciano Rezende, disse que a prefeitura determinou a interdição de parte do sistema de tratamento de efluentes da Unidade Tubarão da Vale após a empresa não responder a notificações e "multas milionárias" - e permitir, segundo ele, que poluentes sejam despejados no mar.


Em vídeo divulgado no Facebook, Rezende afirma que a prefeitura aplicou multa de R$ 35 milhões à mineradora. "Desde o ano passado, a Vale tem usado uma bacia que utiliza para recolher rejeitos, com líquido contendo carvão, minério, calcário e terra, que está transbordando e indo para o mar", destacou o secretário de meio ambiente de Vitória, Luiz Emanuel, acrescentando que outras multas milionárias já foram aplicadas contra a mineradora.

Segundo o procurador-geral de Vitória, Rubens Jesus, foi preciso adotar práticas mais duras "para coibir esse descaso com o meio ambiente".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade