Publicidade

Correio Braziliense

No último comentário, Boechat falou sobre a sucessão de tragédias no Brasil

Poucas horas antes da tragédia, o jornalista havia comentado sobre as mortes em Brumadinho e no Centro de Treinamento do Flamengo


postado em 11/02/2019 17:22 / atualizado em 12/02/2019 00:23

(foto: Rede Bandeirantes/Divulgação)
(foto: Rede Bandeirantes/Divulgação)

Um dos passageiros do helicóptero que caiu no início da tarde desta segunda-feira (11/2) em SP, o jornalista Ricardo Boechat era conhecido pelo jeito excêntrico e pelos comentários assertivos que fazia, nas mais diversas coberturas jornalísticas as quais esteve à frente. Âncora na Rádio BandNews FM, ele havia dado uma palestra em Campinas (SP) e voltava para a capital quando a aeronave caiu. No início da manhã, horas antes do acidente, Boechat fez o habitual comentário diário na rádio. Desta vez, sobre as sucessivas tragédias que vêm acontecendo no Brasil, como Brumadinho e o incêndio no CT do Flamengo. Essa foi a última fala do jornalista a seus ouvintes.

Ver galeria . 10 Fotos Rede Bandeirantes/Divulgação
(foto: Rede Bandeirantes/Divulgação )
  
 
Na rádio, Boechat lamentou o rompimento da barragem em Brumadinho, que deixou, até agora, 165 mortos, e o incêndio no Centro de Treinamento do Flamengo, que atingiu o alojamento dos jogadores da categoria de base do clube, matando dez adolescentes. 

O jornalista se mostrou impressionado com a rapidez com que a tragédia em Brumadinho havia "sumido das primeiras páginas" dos noticiários, dando lugar ao incêndio nas instalações do Flamengo. Ele criticou, ainda, a "negligência e a impunidade" nestas tragédias, citando a reportagem de capa do jornal O Globo. Para ele, o "esquecimento" também seria um dos responsáveis pela falta de consequências e punições nos casos. 
 
Assista ao comentário na íntegra:  

 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade