Publicidade

Correio Braziliense

OAB lança cartilha para orientar vítimas de Brumadinho

Documento explica, em redação simples, os direitos e reivindicações para os atingidos pelo rompimento da barragem


postado em 12/02/2019 17:07

(foto: Mauro Pimentel/AFP)
(foto: Mauro Pimentel/AFP)
 
A Comissão Nacional de Direito Ambiental, da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), elaborou uma cartilhacom orientações às vítimas da tragédia de Brumadinho (MG) sobre seus direitos e reivindicações. O rompimento da barragem da Mina do Córrego do Feijão, da Vale, completa nesta terça-feira (12/2) 18 dias, com um total de 165 mortes e 155 desaparecimentos.

Com uma redação simples, o documento da OAB explica, na forma de pergunta e resposta, como as vítimas podem agir em diversas situações. A entidade recomenda, por exemplo, que a pessoa registre os bens que tenham sido danificados ou perdidos durante o rompimento da barragem da mina. Nesse caso, aconselha-se que a vítima liste todos os pertences, do modo mais detalhado possível e, em seguida, faça, em um Cartório de Notas, uma Escritura Declaratória contendo a relação desses bens.

A cartilha enfatiza que o funcionário da Vale que tiver se acidentado durante o desastre da barragem, a ponto de ter de ficar afastado do trabalho, pode reclamar seu direito ao plano de saúde pago pela empresa, evitando que o serviço seja cortado. Há, ainda, na cartilha da OAB, informações sobre como proceder quando se tem um familiar desaparecido e outras obrigações da empresa em relação aos trabalhadores atingidos.

A cartilha recomenda a necessidade de se contratar um advogado para representação e alerta a população a ter cautela diante de pessoas que ofereçam vantagens fora do comum. "Caso seja abordado por pessoas oferecendo serviços de advogados, com promessas de vantagens imediatas e gratuitas, não confie. Procure se informar sobre esse profissional. Infelizmente em situações como a ocorrida muitos aproveitadores se valem de momentos de fragilidade dos familiares para buscar vantagens pessoais. Ocorre, não raras vezes, de tais pessoas sequer serem advogados habilitados", alerta a OAB, destacando que, ao suspeitar de tentativas de golpe, a pessoa pode registrar denúncia junto à entidade.

Quem necessitar de apoio jurídico e não tiver condições de pagar pelo serviço pode se dirigir ao posto da Defensoria Pública da União (DPU), instalado em Brumadinho, na Avenida Vigilato Braga, s/n - centro, ao lado do ponto de apoio. A equipe está disponível para atendimento de segunda-feira a sexta-feira, em dois turnos: das 9h às 12h e das 13h às 17h.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade