Publicidade

Correio Braziliense

Homem morre em endoscopia e tem corpo abandonado no sofá de casa pelo Samu

Edilberto Lopes Batista passou mal durante o exame e clínica acionou socorro. Polícia investiga o caso, que aconteceu em Feira de Santana, na Bahia


postado em 16/02/2019 13:34 / atualizado em 16/02/2019 13:42

(foto: Reprodução/TV Subaé)
(foto: Reprodução/TV Subaé)

Um homem de 51 anos morreu ao passar mal durante um exame de endoscopia, na quarta-feira (13/2), em uma clínica particular em Feira de Santana, no interior da Bahia. Edilberto Lopes Batista chegou a ser socorrido por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que foi acionada pela própria clínica, mas não resistiu. Após a constatação da morte, o corpo foi levado à casa da família e o largado no sofá da residência.

A família de Edilberto contou à reportagem da TV Subaé que ele faleceu por volta das 11h de quarta-feira (13/2), no Instituto de Doenças do Aparelho Digestivo (Idad). O paciente foi ao local para realizar uma endoscopia, por conta de dores no estômago.

"O Samu deixou o corpo dentro da residência, sem comunicar a ninguém. Largou lá, como se fosse um indigente, como se não existisse familiar. E mandou que a família fosse buscar um atestado de óbito lá no Samu", relatou Jodailton de Almeida, cunhado de Ediberto, em entrevista à TV.

Os familiares de Edilberto denunciaram o caso à Polícia Civil. Uma equipe do Departamento de Polícia Técnica (DPT) de Feira de Santana esteve na casa para remover o corpo do homem. Ele foi enterrado na tarde de quinta-feira (14/2). O Correio tentou contato com a equipe de investigadores, mas não obteve resposta até a última atualização desta reportagem.

O caso está sendo investigado pela 2ª Delegacia de Polícia da cidade baiana, que aguarda o laudo de necropsia para apurar as causas da morte de Edilberto. O Correio tentou contato com a equipe de investigadores, mas não obteve resposta até a última atualização desta reportagem.


O IDAD, clínica que realizou o exame, divulgou uma nota afirmando que a endoscopia ocorreu sem nenhum problema e que só depois do procedimento o paciente teve uma parada cardio respiratória. A clínica afirmou ainda ter tentado reanimar Edilberto e acionado o Samu, que deu prosseguimento ao atendimento, porém sem sucesso. O Correio também entrou em contato com a clínica para conseguir mais detalhes do caso, mas a atendente disse que os proprietários do local só se pronunciariam na segunda-feira (18/2).

Afastamento

A Secretaria Municipal de Saúde de Feira de Santana afastou, nesta sexta-feira (15/2) e equipe do Samu que realizou o atendimento à Edilberto. Em nota, a Secretaria informou que instaurou uma sindicância para apurar o procedimento do atendimento e pediu o afastamento da equipe até que as investigações sejam concluídas.

Leia a nota na íntegra: 
 
"A Secretaria Municipal de Saúde instaurou uma sindicância para apurar o procedimento de uma equipe do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (SAMU) em relação a condução do corpo do industriário Edilberto Lopes Batista, de 51 anos, morto ao ser submetido a endoscopia, em uma clínica particular da cidade, para a residência da família.  

A comissão de sindicância é formada por cinco pessoas integrantes da Secretaria de Saúde e tem prazo de 30 dias para apresentar relatório com as conclusões sobre o caso. Familiares do industriário reclamam da atitude da equipe médica, entendendo que o corpo não deveria ter sido levado para a residência – eles acreditam que a morte não foi por “causas naturais”. 

O ato administrativo da sindicância pede o afastamento da equipe que esteve na clínica e adotou o procedimento que vem sendo questionado. “Não estamos penalizando ninguém. Por enquanto, há um fato a ser apurado e não se pode afirmar que a conduta tenha sido certa ou errada”, informa a secretária Denise Mascarenhas."

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade